Concurso Regional de Empreendedorismo dos Açores já permitiu criar 11 empresas


 

Lusa/AO Online   Regional   22 de Abr de 2019, 12:42

O Concurso Regional de Empreendedorismo dos Açores originou, desde 2014, a criação de 50 planos de negócio e 11 empresas, anunciou o Governo Regional, indicando que o novo período de candidaturas abre em 01 de maio.

"Nas cinco edições realizadas desde 2014 foram apresentadas 184 candidaturas, que originaram 50 planos de negócio e a criação de 11 empresas, encontrando-se em fase de criação, ainda este ano, mais quatro empresas", adianta uma nota do executivo açoriano.

Segundo o Governo Regional, "as empresas criadas abrangem diversas áreas de negócio, incluindo turismo, agroindústria, biotecnologia, tecnologias de informação e comunicação, desenvolvimento de ‘software’, além de projetos na área das indústrias criativas".

O Concurso Regional de Empreendedorismo é promovido pela vice-presidência do Governo dos Açores, através da Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores (SDEA), com o objetivo de criar "as condições necessários para a implementação de negócios inovadores, exequíveis e que respondam a necessidades do mercado, em áreas consideradas prioritárias para o desenvolvimento" da região.

A ideia é também proporcionar "aos empreendedores açorianos a oportunidade de concretizarem os seus projetos de negócio conducentes à criação de novas empresas", acrescenta a nota do executivo.

Este ano será inaugurada a plataforma digital www.cre-acores.pt, através da qual os concorrentes podem apresentar as suas candidaturas e seguir todas as fases deste concurso.

O período de candidaturas decorre de 01 de maio a 15 de junho.

O concurso decorre em "três fases, permitindo que as ideias de negócio apresentadas na primeira fase e que passem às fases posteriores entrem num processo de desenvolvimento e consolidação, com o intuito de garantir a transposição dos projetos vencedores para iniciativas empresariais".

O primeiro classificado do Concurso Regional de Empreendedorismo recebe um prémio pecuniário de 25 mil euros, o segundo de 20 mil euros e o terceiro de 15 mil euros, "verbas que devem integrar o capital das empresas a criar", especifica a vice-presidência do governo açoriano.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.