Concurso para empreitada no porto de Ponta Delgada sem concorrentes

Concurso para empreitada no porto de Ponta Delgada sem concorrentes

 

Lusa/AO Online   Regional   11 de Jan de 2019, 18:00

A empresa pública Portos dos Açores vai revogar a decisão de contratar empresas para fazerem as obras na bacia do porto de Ponta Delgada, uma vez que o concurso público ficou vazio, anunciou a empresa.

O concurso público destinava-se à execução da empreitada de reperfilamento do Cais -10m (ZH), a par da repavimentação do terrapleno portuário e beneficiação das redes técnicas nele integradas e dragagem da bacia portuária do porto de Ponta Delgada.

Em nota de imprensa, a Portos dos Açores refere que foi informada, “por alguns potenciais interessados, de que não estariam disponíveis nesta data para executar a empreitada pelo valor posto a concurso”.

A empresa irá agora, “de imediato, proceder à reavaliação da estimativa orçamental da obra”, sendo que um “novo procedimento será lançado após terminado este processo de reavaliação”.

A Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas disse em 09 de outubro que tinha enviado o anúncio de abertura do concurso da empreitada de reperfilamento do cais -10 e de repavimentação do terrapleno do porto de Ponta Delgada para publicação em Diário da República.

Ana Cunha referiu, na altura, que a empreitada, no valor de 32 milhões de euros, “visa, de forma muito significativa, melhorar a operação no porto de Ponta Delgada e dar resposta cabal àquele que se prevê ser o seu crescimento nos próximos 10/15 anos”.

Além de permitir a operação de contentores em linha, esta obra “aumenta significativamente” a área de terrapleno para contentores de 20 pés e de 40 pés", sendo que, no que se refere aos contentores de 40 pés, "aumenta a capacidade de 224 lugares para cerca de 540”, de acordo com a governante.

Para a titular da pasta dos Transportes, esta “é uma obra de importância crucial para o porto de Ponta Delgada”, a que se junta o início do processo de renovação dos equipamentos móveis neste porto, que têm vindo a sofrer também algum desgaste em função das obras que estão em curso.

Esse processo de renovação, que representa um investimento de cerca de 1,5 milhões de euros, “será inicialmente para empilhadoras, mas também faseado porque, em função daquilo são as obras que vão ter agora início, conjuga-se a sua aquisição com as condições para operarem”, disse.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.