Açores/Eleições

César e Costa Neves, dois percursos diferentes em confronto inédito

César e Costa Neves, dois percursos diferentes em confronto inédito

 

Lusa/AO online   Regional   1 de Out de 2008, 09:26

O social-democrata Costa Neves pretende destronar, nas eleições de 19 de Outubro, o socialista Carlos César, o “senhor das ilhas” desde 1996, que concorre ao quarto e último mandato com presidente do Governo açoriano.
Carlos Costa Neves fez uma parte do seu percurso político fora do arquipélago dos Açores, com um roteiro que passa por Bruxelas, como deputado europeu, e Lisboa, onde foi secretário de Estado dos Assuntos Europeus e ministro da Agricultura.

    Mantendo-se fiel à sua terra natal, Carlos César, 52 anos, optou por ficar na região autónoma, mesmo depois dos “vários convites e apelos” que recebeu para desempenhar funções políticas no continente.

    À frente do Governo Regional desde 1996, Carlos César, que chegou a anunciar que não voltaria a recandidatar-se nas legislativas regionais deste ano, assumiu que a sua “carreira nacional é feita nas ilhas”, onde se “sente muito bem”.

    “Tive vários convites e apelos em ocasiões sucessivas. Estou nos Açores porque gosto dos Açores e, portanto, prossigo nesta opção”, confessou o líder do PS/Açores recentemente numa entrevista à agência Lusa.

    Com maiorias absolutas nas regionais de 2000 e 2004, o líder dos socialistas açorianos já reconheceu que uma vitória para o PS/Açores, a 19 de Outubro, é obter uma nova maioria de deputados na Assembleia Regional.

    Natural de Ponta Delgada, ilha de São Miguel, Carlos César fez os estudos primários e secundários na sua terra natal, onde fundou a Associação de Estudantes do Liceu Antero de Quental.

    Viria também a liderar o lançamento da Juventude Socialista nos Açores, tornando-se membro do PS a 28 Agosto de 1974. Três anos mais tarde (em 1977), entrou para a Faculdade de Direito de Lisboa.

    Na capital, Carlos César foi, também, adjunto do secretário de Estado da Administração Pública do II Governo Constitucional.

    De regresso aos Açores, ingressa como deputado no Parlamento açoriano, em Janeiro, de 1981.

    Dois anos depois é eleito, pela primeira vez, líder regional do PS, cargo onde se manteve até 1985.

    Em Dezembro de 1988, assume funções de deputado na Assembleia da República, cargo para que fora eleito em Julho de 1987 e integrou a direcção do grupo parlamentar.

    A 30 de Outubro de 1994 é novamente eleito presidente do PS/Açores, cargo que mantém até hoje.

    Durante o seu percurso político, admitiu que a sua formação cívica está associada às influências na família (do irmão Horácio César - jornalista) e de Jaime Gama, Mário Mesquita e Medeiros Ferreira.

    É casado com Luísa do Vale César, desde Novembro de 1977, e pai de um filho.

    O líder do PSD/Açores, Carlos Costa Neves, defronta pela primeira vez o socialista Carlos César, depois de um “regresso” à liderança do PSD/Açores.

    Costa Neves volta a estar à frente dos destinos dos sociais-democratas açorianos, na sequência da demissão de Victor Cruz, derrotado nas regionais de 2004.

    Natural de Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Costa Neves dirigiu o PSD/Açores entre 1997 e 1999, cargo que voltaria a ocupar a partir de Dezembro de 2005.

    Mas Costa Neves sempre recusou a ideia de ser um líder a prazo ou transitório e garante que “corre” por “determinação”.

    “É um dever. É determinação e uma imposição a mim mesmo”, declarou à Lusa o candidato social-democrata, que destaca a experiência adquirida a nível regional, nacional e europeu nos diversos cargos.

    Aos 54 anos, Costa Neves diz-se, assim, determinado a levar avante um projecto para “assegurar padrões de vida aos açorianos semelhantes ao dos residentes no continente e na Europa”.

    Licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa, desenvolveu a sua carreira entre os Açores e Bruxelas, onde foi deputado ao Parlamento Europeu, entre Junho de 1994 e Abril de 2002.

    O antigo deputado europeu foi, também, ministro da Agricultura, Pescas e Florestas, entre Julho de 2004 e Março de 2005.

    No Governo da República, entre Abril de 2002 e Julho de 2004, teve também a pasta de secretário de Estado dos Assuntos Europeus.

    Nos Açores passou, também, pelos governos regionais liderados por Mota Amaral, onde ocupou diversas pastas, como a Administração Interna e Assuntos Sociais.

    Entre 1980 a 1988, foi deputado à Assembleia Regional dos Açores.

    Costa Neves esteve, ainda, à frente dos destinos da transportadora SATA Air Açores, entre 1992 a 1994.

    É casado e tem três filhos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.