Açoriano Oriental
Açores/Eleições
CDU defende política ambiental com revisão da gestão de resíduos

A CDU quer implementar uma política ambiental nos Açores que passa pela “revisão dos instrumentos de gestão ambiental e de resíduos”, pela “fiscalização das zonas marinhas e terrestres protegidas” e pelo investimento em energias alternativas.

CDU defende política ambiental com revisão da gestão de resíduos

Autor: Lusa/AO Online

Ainda de visita à ilha do Corvo, o coordenador regional do PCP, Marco Varela, destacou, do conjunto de medidas propostas pela CDU (coligação que junta o Partido Comunista e Os Verdes), “a revisão dos instrumentos de gestão ambiental e de resíduos”.

“Na nossa opinião, tem de se reverter o processo de construção da incineradora de São Miguel, porque não há necessidade de termos mais uma incineradora na região. Precisamos de apostar, efetivamente, na reciclagem e não em mais incineradoras”, afirmou Marco Varela, ao 11.º dia de campanha para as legislativas regionais.

Por outro lado, a fiscalização das zonas marinhas e terrestres protegidas é, para a CDU, “essencial para proteger o mar e as ilhas”.

O também cabeça de lista pelos círculos eleitorais do Corvo e de compensação defendeu que se deve, “um pouco por toda a região, investir em energias renováveis”, mas quer ver o “Corvo ser uma referência em termos de região”.

“Para isso, é preciso este reforço de energias alternativas e a libertação das nossas ilhas da dependência dos combustíveis fósseis”, reiterou.

Depois de o Aliança ter cancelado as atividades de campanha de contacto com a população, o coordenador regional comunista adiantou que “a CDU está a acompanhar a situação”.

“Iremos tomando medidas, mediante também os seus desenvolvimentos, mas a CDU nesta fase não irá suspender, para já, a campanha e o contacto com as pessoas, naturalmente seguindo todas as regras de segurança e de proteção”, rematou.

Há, atualmente, 65 casos positivos ativos nos Açores, dos quais 42 em São Miguel, 11 na Terceira, um na Graciosa, quatro no Pico, quatro no Faial, dois em Santa Maria e um na ilha das Flores, segundo o balanço de terça-feira.

A campanha, que arrancou em 11 de outubro, decorre até sexta-feira, deixando o sábado para reflexão, antes das eleições legislativas regionais, que ocorrem no domingo.

Nas eleições regionais açorianas existe um círculo por cada uma das nove ilhas (São Miguel, Terceira, Faial, Pico, São Jorge, Graciosa, Santa Maria, Flores e Corvo) e um círculo regional de compensação, reunindo os votos que não foram aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.

Ao todo, são 13 as forças políticas que se candidatam aos 57 lugares da Assembleia Legislativa Regional: PS, PSD, CDS-PP, BE, CDU, PPM, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, Chega, Aliança, MPT e PCTP/MRPP.

A CDU concorre por todos os círculos eleitorais.

Nas anteriores legislativas açorianas, em 2016, o PS venceu com 46,4% dos votos, o que se traduziu em 30 mandatos no parlamento regional, contra 30,89% do segundo partido mais votado, o PSD, com 19 mandatos, e 7,1% do CDS-PP (quatro mandatos). O BE, com 3,6%, obteve dois mandatos, a coligação PCP/PEV, com 2,6%, um, e o PPM, com 0,93% dos votos expressos, também um.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.