BE pede garantias de carreira contributiva a cuidadores informais

 BE pede garantias de carreira contributiva a cuidadores informais

 

AO Online/ Lusa   Nacional   21 de Set de 2019, 19:56

A coordenadora do BE alertou este sábado que na próxima legislatura vai ser precisa “capacidade orçamental” para concretizar o estatuto do cuidador informal, nomeadamente para garantir a “carreira contributiva” a pessoas que não trabalharam para tratar de familiares dependentes.

“O estatuto do cuidador informal foi aprovado, mas é preciso que na próxima legislatura se concretize e que, nomeadamente, seja garantida a carreira contributiva pelos anos que pessoas ficaram a cuidar de quem precisa. Precisamos [o BE] de mais força para que, na próxima legislatura, o que foi aprovado em lei se concretize com capacidade orçamental para os apoios chegarem a todos os que precisam”, afirmou Catarina Martins.

A coordenadora do BE falava numa ação de pré-campanha para as eleições legislativas de 06 de outubro, na feira semanal da Senhora da Hora, concelho de Matosinhos, distrito do Porto.

Catarina Martins referiu-se ao tema após ter sido abordada por duas mães cuidadoras que referiram o problema e apontou também a necessidade de que “uma lei da vida independente não seja um projeto-piloto, mas uma realidade, para que as pessoas com deficiência possam trabalhar”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.