BE/Açores diz que Orçamento regional de 2019 "não responde aos problemas"

BE/Açores diz que Orçamento regional de 2019 "não responde aos problemas"

 

Lusa/AO online   Regional   2 de Nov de 2018, 16:33

O coordenador regional do BE/Açores, António Lima, considerou hoje que o Orçamento da região para 2019 “não responde aos principais problemas dos Açores” e é “uma proposta de continuidade” do que o PS tem vindo a apresentar.


O Plano dos Açores para 2019 “é uma proposta de continuidade como aquelas que têm sido as propostas do Partido Socialista nos últimos anos e, a nosso entender, não responde aos principais problemas dos Açores, aqueles que as famílias e os trabalhadores dos Açores enfrentam no dia-a-dia”, afirmou hoje António Lima, em declarações à agência Lusa.

O dirigente regional do Bloco de Esquerda considera que o documento, entregue na passada quarta-feira na Assembleia Legislativa dos Açores, “é uma má notícia para quem trabalha, é uma má notícia para os trabalhadores precários, é uma má notícia para os pensionistas, principalmente os mais pobres”.

O deputado no parlamento açoriano lamenta que o Plano não tenha “uma única medida para aquele que é um dos principais problemas nos Açores, neste momento, que é a precariedade”, apesar de o PS ter vindo “a falar deste problema, mas, o facto é que o Governo Regional, apoiado pelo Partido Socialista, não tem uma única medida num documento tão importante como é o Orçamento”.

António Lima lamenta, ainda, que não figurem no Orçamento para 2019 medidas de combate à pobreza e que “na recuperação [de rendimentos] que tem sido levada a cabo desde 2015, apresente uma única medida, que ainda é um pouco indefinida, nomeadamente o aumento da remuneração complementar”, já que “os seus valores ainda estão dependentes daquilo que serão, eventualmente, os aumentos salariais que estão previstos acontecer a nível nacional”.

“O Bloco de Esquerda já tem vindo a apresentar algumas propostas que irá levar ao Orçamento, terá várias propostas de alteração ao Orçamento, que vão refletir aquela que é a nossa visão relativamente aos problemas e às propostas que devem ser implementadas para resolver os principais problemas da região, nomeadamente no combate à precariedade, combate à pobreza, para recuperar os rendimentos das famílias, dos trabalhadores, principalmente aqueles que têm salários mais baixos”, disse.

O partido já propôs alterações ao empréstimo de livros escolares, a criação de creche gratuita para as famílias com rendimentos até o quarto escalão de IRS, o aumento do abono de família e alteração do fundo de pescas e irá, ainda, apresentar propostas no âmbito do combate à pobreza e de recuperação de rendimentos.

A proposta de Orçamento dos Açores para 2019 foi entregue na Assembleia Legislativa Regional, na passada quarta-feira, e prevê um valor global de 1.604,8 milhões de euros, dos quais 413,6 milhões, 54,2% dos 763,3 milhões de euros dedicados ao investimento público, será dedicado ao fomento do crescimento económico e do emprego.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.