Associação Académica dos Açores cria plataforma para ajudar estudantes a encontrar casa


 

Lusa/AO Online   Regional   30 de Ago de 2019, 16:26

A Associação Académica da Universidade dos Açores (AAUA) criou a página de Internet "Home 2 Study" para a publicação de anúncios de alojamento para estudantes na região, procurando "facilitar o contacto" entre alunos e o mercado imobiliário.

"É um ‘site’ próximo daquilo que é um ‘site’ de anúncios. Está aberto a toda a gente, empresas ou particulares, e é direcionado para o imobiliário porque é a questão que os alunos têm mais em falta. Queremos facilitar o contacto e o acesso dos clientes ao mercado e do mercado aos clientes", disse à Lusa Marcos Bicho, presidente da AAUA.

O lançamento da plataforma vai ao encontro das prioridades da associação estudantil da Universidade dos Açores (UAc) e o objetivo passa por centralizar a informação disponível.

"Ajudar os estudantes a encontrar casa é uma das prioridades da AAUA. Existem vários 'sites' de anúncios, mas com um criado em sede estudantil, feito pelos estudantes e para os estudantes, o contacto acaba por ser muito mais fácil. É uma mais valia para os alunos ter informação centralizada no mesmo local e é uma mais valia para quem promove, porque mais facilmente encontra o seu mercado", avança Marcos Bicho.

O dirigente associativo refere que o crescimento do turismo em Ponta Delgada criou uma situação "muito complicada" para o alojamento de estudantes.

"O turismo tem aumentado todos os anos, o alojamento local, que substituiu as habitações para estudantes, é cada vez maior e o valor do imobiliário em Ponta Delgada tem subido cada vez mais. Há uns anos, tínhamos um quadro na sede da associação cheio de anúncios de alojamento e atualmente temos apenas um anúncio. É simbólico, nos últimos dois, três anos nota-se uma diferença enorme", revela.

Marcos Bicho refere ainda que a residência universitária de Angra do Heroísmo está "cheia" e a de Ponta Delgada "passa a maior parte do tempo ocupada", antevendo dificuldades para os estudantes Erasmus, que vão aumentar no próximo ano letivo.

"Na Terceira, a residência está completa, mas como existem menos alunos, consegue dar uma resposta superior à de Ponta Delgada. Muitos estudantes deslocados já não têm tido vaga e no próximo ano letivo os alunos de Erasmus vão aumentar de 60 para mais de 100. Que resposta vamos conseguir dar? A reitoria também está preocupada, temos de arranjar alternativas", adverte.

O jovem pede a criação de políticas a nível regional e municipal para solucionar a falta de habitação para estudantes.

"As soluções têm de vir de todas as áreas. A Câmara Municipal de Ponta Delgada e o Governo Regional têm de ter mão no alojamento local. Para os próprios habitantes, não é uma coisa boa", apontou, defendendo a implementação de medidas como a "diferenciação na taxa de IMI conforme as utilizações da habitação" ou a criação de apoios para "estudantes ou senhorios que queiram criar alojamento para alunos".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.