Turismo

Açores podem ser "destino de excelência" no mergulho mas é necessário viagens mais baratas

Açores podem ser "destino de excelência" no mergulho mas é necessário viagens mais baratas

 

LUSA/AOnline   Regional   16 de Out de 2011, 18:50

A aposta na promoção dos Açores como “destino de excelência” para a prática do mergulho, que inclua a criação de uma marca identificadora e tarifas aéreas mais económicas, foi uma das principais conclusões da III Bienal de Turismo Subaquático.

“Os Açores, pela sua localização e génese geológica, apresentam um grande potencial para a prática do mergulho”, refere o documento final da reunião, que define a ética, a formação e o profissionalismo como os princípios fundamentais para assegurar o futuro deste mercado turístico.

Os participantes na bienal, que decorreu na Graciosa, salientam que o mergulho costeiro e recreativo tem sido o “motor” deste segmento turístico, mas defendem que podem ser abertas “novas linhas de promoção”, como o mergulho técnico e o mergulho com grandes pelágicos, nomeadamente tubarões baleia e jamantas.

O mergulho recreativo com recurso a recifes e estruturas artificiais, como as criadas com o afundamento de navios, é outra das vertentes a explorar na promoção do turismo de mergulho nos Açores, que deve também aproveitar a recente criação de parques arqueológicos subaquáticos.

As conclusões da bienal alertam, no entanto, que o crescimento deste segmento turístico no arquipélago “não pode descurar aspetos ligados à segurança”, defendendo uma aposta na “informação, formação, prevenção e minimização dos riscos”.

Para a divulgação dos Açores como destino turístico de mergulho, os participantes da bienal defendem a criação de uma “marca identificadora” que permita marcar o posicionamento estratégico da região e utilizar uma estratégia comum de comunicação.

A definição de um “plano articulado, coerente e que aposte na valorização de novos segmentos de mercado” e a melhoria “urgente” das condições de acessibilidade às nove ilhas do arquipélago, através de tarifas aéreas mais económicas e facilidade de transporte de equipamentos específicos de mergulho, são algumas das medidas defendidas no documento final da reunião para promover o desenvolvimento do turismo de mergulho nos Açores.

Os participantes na bienal defendem também, entre outras medidas, o combate à sazonalidade com a oferta de atividades complementares, além da necessidade de serem criadas reservas marinhas de mergulho e “mais e melhores condições de acesso ao mar e às atividades a ele ligadas”.

A aposta na formação específica dos operadores e a criação de códigos de conduta para os diferentes tipos de mergulho são outras das conclusões deste encontro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.