Açoriano Oriental
Escola
Escola Secundária da Lagoa

DesenvoLver, Expressar, Crescer


Biblioteca Escolar

Perdidos no meio da diversidade, de tanta novidade tecnológica e multimédia, centrados em tantas redes sociais e de olhos colados, quase todo o dia, a um ecrã, cada vez é mais difícil colocar um livro nas mãos de qualquer adolescente.

Quando o sugerimos, deparamo-nos sempre com os seguintes argumentos: “Isto leva muito tempo!”, “Não há um filme sobre isto?”, “Olha só o tamanho deste livro, tem trezentas e tal páginas … nunca mais!”. Hoje, vivemos num mundo com um ritmo alucinante, em que o tempo é medido pela rapidez, pela quantidade em detrimento da qualidade, pelo imediatismo de uma chuva de notícias, das quais não conseguimos distinguir a verdade da mentira e que passam em vários ecrãs de segundo em segundo. E tempo para parar, pensar, refletir ou, simplesmente, sonhar? E os livros? Que papel é que têm atualmente?

Pertenço uma geração em que os livros não eram apenas um conjunto extenso de folhas que nos era imposto. Os livros eram a forma que tínhamos de nos libertar, nem que fosse do isolamento da nossa condição de ilha, de viajar para conhecer e viver novas vidas e outros mundos de inocentes enredos. Através deles, podíamos ser mais um membro nas aventuras d´Os Cinco, podíamos partilhar e celebrar os bons momentos das personagens ou até mesmo deixar uma lágrima cair, quando o sofrimento delas era nosso também. E no final do livro? Aí, mostrávamos com orgulho a lombada grande do livro, contávamos quantas excitantes páginas faltavam para conhecer o seu final e que, às vezes, outra pessoa queria revelar, mas proibíamos, para saborear, com  deleite, as últimas palavras  daquele livro que tinha sido nosso companheiro durante uma jornada e que se tornava assunto para quem o já tinha lido ou motivação para quem o pedia emprestado.

Contudo, a leitura também sempre teve o seu cunho pedagógico, pois quantas eram as palavras novas e “caras” que nunca tínhamos visto, cujo significado aprendíamos e, depois, maior satisfação nos dava em usá-las e pô-las em prática, impressionando, até, o nosso “interlocutor”. E, assim, aprendia-se, de forma inconsciente, as bases da estrutura da nossa língua materna, quer na escrita, quer mesmo no domínio da oralidade, sem se sentir a necessidade de repetir, num discurso pobre, as mesmas palavras ocas: “do tipo”, “coisa e tal”, “meio que”…

Por fim, os livros também constroem o carácter e fortalecem valores, ensinando como respeitar as diferenças, entender a tolerância, acolher a humildade, sensibilizar corações, enriquecer consciências, ter sede de justiça… E isto tudo através das lições de vidas fictícias ou reais, das diversas temáticas abordadas, da vitória do bem e das consequências evidentes do mal.

Foi valorizando todos os aspetos positivos que a leitura oferece na formação e instrução pessoal, social e cívica de qualquer cidadão que o Governo Regional resolveu implementar o “Programa  Ler Açores”, possibilitando “o aumento sustentado dos níveis de literacia e de leitura, a diversidade das tipologias e dos suportes da leitura e o enraizamento dos hábitos de leitura em todos os estratos da população residente nas diversas ilhas do arquipélago!”. 1 Este programa permite juntar “o Plano Regional de Leitura, a Rede de Leitura Pública e a Rede Regional de Bibliotecas Escolares num programa unificado, tornando a promoção do livro e da leitura um objetivo transversal às políticas culturais e sociais na Região Autónoma dos Açores.” 1 Na verdade, já dizia Monteiro Lobato: “Os livros não podem mudar o mundo. As pessoas podem mudar o mundo. Os livros podem mudar as pessoas”.

 

1 in Jornal Oficial, nº 151/2020 de 28 de maio de 2020

 

       A Coordenadora da Biblioteca da ESL,

                                                                                     Marcionila Costa Rocha

AO Escolas

EBS da Povoação implementa calendário escolar em regime semestral
A EBS da Povoação decidiu, no final do ano letivo passado, no âmbito da autonomia da escola, propor a alteração do seu calendário letivo para 2020/2021, passando do regime periodal para o semestral.
 
Escola Básica e Secundária da Povoação
Alunos da EBSP limpam as praias dos Palames e do Morro
O Dia Internacional da Limpeza Costeira é celebrado anualmente no terceiro sábado de setembro.
 
Escola Básica e Secundária da Povoação
Um novo ano começa.
Este será um ano diferente, um ano de novos desafios e novos procedimentos. Um ano em que não nos deveremos esquecer do uso da máscara, de cumprir todas as regras de prevenção tais como a de distanciamento social, a de etiqueta respiratória e a de higiene das mãos.
 
Escola Básica e Secundária da Povoação

Notícias AO

Sindicatos de professores pedem "melhoriais" no estatuto da carreira
Os sindicatos dos professores dos Açores defendem que o próximo Governo Regional deve proceder à introdução de "melhorias" no estatuto da carreira docente e querem decisões políticas para "reverter o ciclo de degradação" das condições do exercício da profissão.
 
Duas Margens 01 outubro
O Retrato dos Açores – Pordata 2020 e a eventual execução coerciva da demolição e requalificação com recurso a posse administrativa do terreno das galerias comercias da Calheta Pêro de Teive, por parte da Câmara Municipal de Ponta Delgada foram dois dos temas em coma da mesa do programa “Duas Margens” desta semana. Pedro Arruda e Jorge Macedo, analisaram ainda, o Plano de Recuperação e Resiliência da UE e o primeiro debate entre Donald Trump e Joe Biden, candidatos à Presidência dos EUA da América.
 
BE alerta para dificuldades no acesso aos cuidados de saúde
O Bloco de Esquerda/Açores entregou uma queixa ao provedor do utente da Saúde, alertando para as dificuldades de acesso a cuidados médicos e à falta de recursos humanos em todas as ilhas do arquipélago.
 
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.