Açoriano Oriental
Veto de Rússia e China à ajuda humanitária na Síria é “vergonhoso”, dizem EUA

Os Estados Unidos afirmaram este domingo que o veto de Rússia e China ao prolongamento da ajuda humanitária das Nações Unidas à Síria é “vergonhoso”.

article.title

Foto: Olivier Douliery / POOL/EPA
Autor: AO Online/ Lusa

Na sexta-feira, Rússia e China vetaram um projeto de resolução, apresentado por Alemanha, Bélgica e Kuwait, que prolongava por mais um ano a ajuda humanitária das Nações Unidas na Síria, que termina a 10 de janeiro.

“À Rússia e à China, que adotaram essa posição política, opondo-se à resolução: vocês têm sangue nas mãos”, reagiu, em comunicado, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo.

Segundo o governante, os governos de Moscovo e Pequim “preferiram apoiar o seu parceiro em Damasco, pondo em causa a vida de milhões de civis inocentes”.

Mike Pompeo frisou ainda que “não há alternativa aos fornecimentos transfronteiriços das Nações Unidas e não há soluções de substituição viáveis para alimentar milhões de sírios até que o regime sírio acabe com a guerra contra o seu próprio povo".

Organizações não-governamentais alertaram hoje para uma eventual catástrofe humanitária na Síria.

A ajuda humanitária, proveniente de Jordânia, Iraque e Turquia, chega à Síria através de pontos de passagem designados pelas Nações Unidas, sem autorização oficial do regime de Damasco, e beneficia quatro milhões de sírios, sobretudo habitantes de regiões que escapam ao controlo governamental, como a província de Idlib (noroeste).

Desencadeada em 2011 com a repressão de manifestações antigovernamentais, a guerra na Síria já causou mais de 370 mil mortos e milhões de deslocados e refugiados.



Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.