Açoriano Oriental
Ucrânia
Várias pessoas presas nos escombros de hospital após ataques russos

Várias pessoas estão presas nos escombros de um hospital infantil em Kiev atingido esta segunda-feira por vários ataques russos, anunciou o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.


Várias pessoas presas nos escombros de hospital após ataques russos

Autor: Lusa/AO Online

“Um dos maiores hospitais infantis da Europa” foi atingido, “há pessoas debaixo dos escombros e o número exato de vítimas é atualmente desconhecido”, afirmou Zelensky na rede social X, publicando um vídeo do edifício muito danificado.

“A Rússia não pode alegar que não sabe onde caem os seus mísseis e deve ser responsabilizada totalmente por todos os seus crimes”, acrescentou Zelensky.

Pelo menos 20 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas hoje após ataques russos a várias cidades ucranianas, que ativaram as defesas antiaéreas do país, segundo as autoridades locais.

As forças russas dispararam “mais de 40 mísseis” hoje contra várias cidades da Ucrânia, incluindo a capital Kiev, alertou, mais cedo, o Presidente ucraniano no Telegram.

Além de Kiev, "Dnipro, Kryvyi Rih, Sloviansk, Kramatorsk" foram afetadas, afirmou Zelensky, acrescentando que edifícios de apartamentos, infraestruturas e um hospital infantil foram afetados.

“Todos os serviços estão mobilizados para salvar o maior número de pessoas possível”, acrescentou o Presidente ucraniano.

As autoridades ucranianas disseram que, até ao momento, pelo menos sete pessoas morreram na capital, Kiev, e 10 em Kryvyi Rih (nordeste) após os ataques de hoje das forças russas, deixando várias dezenas de feridos.

Na cidade de Pokrovsk, na província de Donetsk, foram relatadas três mortes, segundo o seu governador, Vadim Filashkin, que lamentou que a cidade tenha se tornado um dos alvos hoje dos ataques massivos dos russos por todo a Ucrânia.

Volodymyr Zelensky é esperado em hoje na Polónia, antes de ir para a cimeira da NATO em Washington, anunciou o gabinete do primeiro-ministro polaco, Donald Tusk.

A NATO reúne-se numa cimeira entre terça-feira e quinta-feira em Washington, mais de dois anos depois da invasão russa da Ucrânia.

A Polónia e a Ucrânia poderão assinar hoje um tratado bilateral sobre cooperação em defesa em Varsóvia.

A Polónia, que faz fronteira com a Ucrânia e a Rússia, está entre os mais fortes apoiadores de Kiev. Os polacos também acolheram massivamente os ucranianos que fugiam da agressão russa contra o seu país.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados