Três anos e seis meses de prisão para homem que se barricou em Gaia


 

Lusa / AO online   Nacional   23 de Out de 2009, 18:27

O tribunal de São João Novo condenou esta sexta-feira a três anos e seis meses de prisão efectiva o homem que em 2008 se barricou no Tribunal de Gaia, utilizando uma pistola de alarme para sequestrar uma juíza.
O colectivo de três juízes e quatro jurados (uma situação invulgar em Portugal) optou ainda por absolver Carlos Marinho dos crimes de ameaça agravada, coacção a órgão institucional e quatro dos cinco crimes de sequestro de que estava acusado pelo Ministério Público.

Os factos remontam a 08 de Maio quando Carlos Marinho entrou no Palácio da Justiça de Gaia e ameaçou, com uma arma que depois se apurou ser de alarme, duas juízas e vários funcionários da secretaria do Tribunal de Família e Menores.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.