Desemprego

Taxa de desemprego baixa para 7,3% no segundo trimestre


 

Lusa/AO online   Economia   14 de Ago de 2008, 10:55

A taxa de desemprego em Portugal baixou 0,6 pontos percentuais no segundo trimestre, em relação a igual período de 2007, para 7,3 por cento, segundo os dados  divulgados pelo INE.
    De acordo com o Instituto Nacional de Estatística, no período, a população desempregada caiu 6,9 por cento para 409,9 mil indivíduos.

    O número de empregados, por sua vez, aumentou 1,4 por cento quando comparado com o mesmo trimestre do ano passado e 0,7 por cento relativamente ao trimestre anterior.

    Segundo os dados do INE e comparando com os três primeiros meses do ano, verifica-se que, de Abril a Junho, a taxa de desemprego recuou 0,3 pontos percentuais e a população desempregada estimada baixou 4,0 por cento.

    Os resultados do inquérito ao emprego relativos ao segundo trimestre de 2008 indicam que a população activa em Portugal aumentou 0,8 por cento (abrangendo 42,8 mil indivíduos), face a igual período do ano passado e 0,4 por cento, em relação ao trimestre anterior.

    No período, a taxa de actividade da população em idade activa (15 e mais anos) foi estimada em 62,7 por cento, refere o INE, acrescentando que esta taxa aumentou 0,3 pontos percentuais face ao trimestre homólogo de 2007 e 0,2 em relação ao trimestre anterior.

    De Abril a Junho, a taxa de actividade das mulheres em idade activa foi de 56,4 por cento e a dos homens foi de 69,6 por cento.

    Por regiões, no segundo trimestre de 2008, as taxas de desemprego mais elevadas foram registadas no Alentejo (8,5 por cento), Norte (8,2 por cento) e Lisboa (7,9 por cento).

    Os valores mais baixos foram observados no Centro (5,2 por cento) e na Região Autónoma dos Açores (5,4 por cento).

    Face ao trimestre homólogo, e à semelhança do sucedido globalmente para Portugal, a taxa de desemprego diminuiu no Norte, em Lisboa, no Alentejo e na Região Autónoma da Madeira e aumentou no Centro, no Algarve e na Região Autónoma dos Açores.

    Os maiores decréscimos ocorreram no Norte (1,2 pontos percentuais) e em Lisboa (1,1 pontos).

    O maior acréscimo ocorreu na Região Autónoma dos Açores (1,5 pontos percentuais).

    Face ao trimestre anterior, também se verificou um decréscimo na taxa de desemprego em todas as regiões NUTS II, com excepção das regiões Centro e Alentejo.

    Os maiores decréscimos ocorreram no Algarve (0,8 pontos percentuais) e em Lisboa (0,7 pontos) e o maior acréscimo ocorreu no Alentejo (0,2 pontos).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.