Sporting de Braga impõe empate ao Bayern Munique

Sporting de Braga impõe empate ao Bayern Munique

 

Lusa/AO   Futebol   29 de Nov de 2007, 20:30

O Sporting de Braga obteve hoje um positivo empate com Bayern Munique 1-1, em jogo da terceira jornada do Grupo F da Taça UEFA de futebol, disputado no Estádio Municipal de Braga
O Sporting de Braga efectuou hoje uma excelente exibição frente ao colossal Bayern Munique e conquistou mais um precioso empate a um golo no grupo F da Taça UEFA, em encontro da terceira jornada, realizado no Estádio Axa.
Depois de se terem estreado na prova com o mesmo resultado em Bolton, os "arsenalitas", que ainda têm de actuar no reduto do Aris de Salónica (06 de Dezembro) e receber o Estrela Vermelha (19), estiveram, porém, perto de uma grande proeza no seu 40º jogo europeu.
Frente a um conjunto que nunca perdeu em Portugal (soma agora três vitórias e sete empates) e, em 20 jogos com equipas lusas, só caiu perante o FC Porto na final da Taça dos Campeões de 1986/87 (1-2), o Braga criou ocasiões suficientes para vencer.
Depois de várias perdidas na primeira parte e de ter começado a segunda praticamente a perder - Miroslav Klose marcou logo aos 47 minutos -, o "onze" de Manuel Machado ainda teve forças para reagir, chegando ao empate aos 66, pelo austríaco Roland Linz.
Na parte final, com o 1-1, o Bayern nunca deixou de tentar ganhar, mas foi a equipa da casa que esteve mais perto de o conseguir, num embate em que o árbitro sueco Jonas Erikson "tendeu" para o mais forte e anulou mal um golo aos anfitriões.
Em relação ao último jogo na Liga (0-0 em Leiria, sexta-feira), Manuel Machado fez quatro alterações: saíram César Peixoto, Andrés Madrid, Jaílson e João Pinto, substituídos por Rodriguez, Stélvio Cruz, Vandinho e Roland Linz.
Desta forma, o Braga entrou em "4-3-3", com João Pereira, Paulo Jorge, Rodrigues e Frechaut, à frente de Paulo Santos, um meio-campo com Roberto Brum e Stélvio Cruz, mais recuados, e Vandinho e dois extremos (Jorginho e Wender) no apoio a Roland Linz.
Por seu lado, o "onze" de Ottmar Hitzfeld começou em "4-4-2", com Kahn na baliza, uma defesa com Lell, Lúcio, Demichelis e Lahm, dois "trincos" (Van Bommel e Zé Roberto), dois extremos (Altintop e Ribéry) e dois "temíveis" pontas-de-lança (Klose e Luca Toni).
O encontro começou vivo, com os locais a ameaçarem logo aos três minutos, num cabeceamento falhado de Vandinho, isolado por João Pereira, e os germânicos a responderem num remate frontal de Van Bommel, aos seis, e num desvio de Klose, aos 10.
As emoções passaram, então, a ser espaçadas, com Linz a bater Kahn, mas após falta, inexistente, de Wender sobre Lúcio, aos 22 minutos, e o Bayern a estar perto do golo aos 32, num cabeceamento de Toni e num remate de Lúcio, após o respectivo canto.
Os alemães ainda voltaram a assustar, numa tabela entre Ribéry e Klose, mas os últimos minutos foram completamente dominados pelo Braga, que aos 36, quase viu Lúcio marcar na própria baliza, depois de mais uma grande jogada de João Pereira na direita.
A equipa "arsenalista" continuou em grande e Wender só não marcou aos 40 minutos, após passe de Brum e assistência de cabeça de Linz, porque Kahn efectuou uma defesa extraordinária, voltando a brilhar aos 45, após mais um remate perigoso do brasileiro.
Depois de acabar a primeira parte e prometer marcar, o Braga entrou da pior maneira na segunda: logo aos 47 minutos, Toni surgiu sem marcação na esquerda, após passe de Demichelis, e centrou para o segundo poste, onde Klose, sozinho, só teve de encostar.
O Braga não acusou o "golpe" e respondeu quase de imediato, mas Paulo Jorge cabeceou sem perigo (49 minutos), Linz e Vandinho atrapalharam-se na hora de rematar (51) e Demichelis imitou Lúcio, ao falhar por pouco o golo... na própria baliza (54).
Antes, aos 52 minutos, Manuel Machado já tinha trocado Vandinho por João Pinto e, aos 58, continuou, firme, a apostar no ataque, colocando Jaílson no lugar de Stélvio.
Em contra-ataque, o Bayern podia ter sentenciado, aos 66 minutos, por Ribéry, mas, na jogada imediata, foi o Braga a empatar: Wender serviu Linz, que, na área, dominou bem e rematou colocado, com a bola a bater no poste direito e a entrar.
Com o empate, Manuel Machado "retrocedeu", trocando Wender por Madrid, enquanto o Bayern voltou a tornar-se perigoso, mas, aos 80 minutos, foram os locais que quase marcaram de novo, num cabeceamento de Paulo Jorge, após canto de João Pinto, salvo por Lahm.
Na parte final, os "arsenalistas" quiserem sempre mais chegar ao golo, perante uns alemães conformados com o resultado, que lhes permite continuar a liderar o agrupamento, mas Jaílson, após jogada individual, viu o seu remate esbarrar na muralha contrária.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.