Açoriano Oriental
O outro lado do candidato
“Sou amigo do meu amigo” - Artur Lima

Artur Lima, médico dentista, de 57 anos, é o líder do CDS-PP nos Açores e cabeça de lista à Assembleia Regional, onde é deputado há já vários anos.

“Sou amigo do meu amigo” - Artur Lima

Autor: Açoriano Oriental

Que livro ou livros tem atualmente na mesa de cabeceira? Qual o seu género literário preferido?

A minha leitura passa essencialmente pela política e pela filosofia. Atualmente estou a ler um grande livro de José Tolentino de Mendonça, que recomendo vivamente e que que tem como sugestivo título “O que é amar um país – o poder da esperança”, estou também a ler um outro livro, este sobre a democracia, de João Maurício Brás que tem como título “Os democratas que destruíram a democracia”.

Que série televisiva anda a ver? Porquê?

Gosto de muito de séries de suspense que me envolvem como espetador e me fazem mergulhar na história, acabei há pouco tempo de ver a serie “A Testemunha silenciosa” e ultimamente estou a seguir assiduamente Midsomer Murders.

Qual o filme da sua vida?

A taste of my own medicine. Numa magistral interpretação de William Hurt. A história de um médico que passa a paciente por ter uma doença oncológica e começa a ser tratado como um número, que era precisamente o que ele fazia aos seus doentes, dando um retrato fiel da desumanização dos cuidados de saúde.

Que música não lhe sai da cabeça?

“Friends Will Be Friends” dos Queen, que é uma das minhas músicas preferidas.

Banda ou músico preferido?

Primeiro, duas divas: Amália e Maria Bethania. Depois dos Queen a Sérgio Godinho, passando pelos Resistência, muitas são as referências musicais da minha vida.

Como ocupa os seus tempos livres?

A fazer o que mais gosto, quando posso. Em boas jantaradas com demoradas conversas entre amigos.

É adepto de atividade física, por gosto ou por obrigação?

Nem por gosto, nem por obrigação.

Qual o seu clube do coração?

O glorioso.

Que tipo de pessoa é ao acordar?

Pacifica. O problema é depois com o decorrer do dia.

Quem cozinha lá em casa?

Tem dias. Quando estou por casa gosto de dar a minha mão na cozinha.

Prefere escrever com caneta ou teclado?

Com caneta. De preferência permanente ou de feltro.

Quem faz as compras domésticas?

Sou responsável pela secção do talho e da peixaria.

Como se desloca para o trabalho?

De carro.

Cidade que mais gostou de visitar e porquê?

Istambul. Acho uma cidade multicultural onde se encontram história e civilizações. É uma cidade que me desperta todos os sentidos.

Quantas vezes por dia consulta as redes sociais?

Não tenho facebook pessoal.

Que importância dá às redes sociais?

Pessoalmente, nenhuma.

Qual é o seu principal defeito?

Impulsividade. Mas dá-me forte e passa-me depressa. Há testemunhas disso.

E a principal virtude?
Sou amigo do meu amigo.

O que é mais importante na sua vida?

A minha família. Especialmente a minha mulher e as minhas filhas. O meu grande suporte para estar na política. São as minhas maiores apoiantes, sem prescindirem de um grande e demolidor sentido critico.




















 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.