Solução para RTP/Açores deve envolver órgãos representativos da região

Solução para RTP/Açores deve envolver órgãos representativos da região

 

Lusa/AO Online   Regional   9 de Out de 2013, 13:52

O presidente do Governo dos Açores voltou a manifestar disponibilidade para, com o executivo da República, encontrar a melhor solução para o futuro da RTP no arquipélago, sublinhando que os órgãos representativos da região devem participar no processo.

Segundo uma nota do gabinete de imprensa do Governo dos Açores, o presidente do executivo regional, Vasco Cordeiro, enviou na terça-feira uma carta ao ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Poiares Maduro, em que considera ser “indesejável que uma qualquer solução envolvendo a componente regional do serviço público (rádio e televisão) venha a ser conhecida publicamente sem prévia articulação com os órgãos representativos dos Açores”.

Miguel Poiares Maduro está hoje a ser ouvido na comissão parlamentar para a Ética, a Cidadania e a Comunicação da Assembleia da República, no âmbito da apresentação da proposta do Governo para o novo contrato de concessão de serviço público da rádio e televisão.

O presidente do Governo dos Açores recorda que Poiares Maduro lhe manifestou intenção de se deslocar aos Açores num encontro em Lisboa, a 18 de julho, algo que ainda não aconteceu.

O governante açoriano entende, por isso, que se “mantém em aberto o processo negocial iniciado em março do ano em curso e que, por essa ou por outra via, o Governo dos Açores deve ser parte integrante de qualquer solução que venha a ser apresentada relativamente ao Centro Regional da RTP nos Açores”.

A carta refere ainda que, desde o encontro de julho entre Vasco Cordeiro e Poiares Maduro, não existiu qualquer contacto ou informação adicional sobre esta matéria por parte do Governo da República, a não ser a intenção manifestada pelo ministro em visitar os Açores.

Em julho, o chefe do Executivo açoriano transmitiu ao ministro a urgência de se definir uma solução que garanta, “não apenas a existência deste serviço, mas, sobretudo, o aproveitamento do seu potencial como fator de coesão regional nos Açores e de projeção da Região na diáspora”.

Hoje, no Parlamento, Poiares Maduro reconheceu que a RTP terá que "reduzir recursos humanos", no âmbito do "esforço de ajustamento orçamental progressivo" quem tem vindo a ser feito pela empresa.

"A extinção da RTP/Açores não está em causa, mas vão ter de fazer um esforço equivalente ao que será feito no continente em matéria de ajustamento de custos", afirmou o ministro.

 



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.