Açoriano Oriental
Serrão Santos destaca contributo da ciência portuguesa em defesa dos oceanos

O ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, destacou este sábado o contributo da investigação portuguesa e particularmente do Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto (CIIMAR) para travar a degradação dos oceanos.

article.title

Foto: Eduardo Resendes
Autor: AO Online/ Lusa

Ricardo Serrão Santos sublinhou também o papel deste centro de investigação "muito especial" e "de excelência" no "apoio a uma boa governação, e no contributo para a formação de uma sociedade informada" sobre as questões dos oceanos.

"Nele depositamos esperanças no sentido de contribuir para as soluções que é necessário encontrar no âmbito do desenvolvimento de uma economia azul sustentável e no âmbito de conhecimento dos processos, porque ainda há muito para conhecer nos oceanos", frisou.

O governante falava aos jornalistas em Matosinhos à margem da conferência internacional SOS "Sustainable Ocean Strategies", promovida precisamente pelo CIIMAR, no âmbito das comemorações do seu 20.º aniversário.

Ricardo Serrão Santos sublinhou também o papel deste centro de investigação "muito especial" e "de excelência no apoio a uma boa governação, e no contributo para a formação de uma sociedade informada" sobre as questões dos oceanos.

O CIIMAR desenvolve investigação na área das Ciências Marinhas e Ambientais com uma equipa composta maioritariamente por investigadores da Faculdade de Ciências (FCUP) e do Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar (ICBAS) da Universidade do Porto.

Para o titular da pasta do Mar, a Ciência fez e continua a fazer bem o seu papel em defesa da sustentabilidade dos oceanos, estando as culpas mais no lado dos decisores políticos.

"A investigação e as novas tecnologias têm ajudado. O conhecimento de que estes processos estavam em curso, a ciência detinha-o há dezenas e dezenas de anos. Foi é lenta na transferência para a governação. Sabemos que temos grandes líderes políticos que são adversos às soluções que é necessário enveredar com urgência", declarou.

o ministro admitiu que a situação nos oceanos é mais difícil mas, assinalou, "há que manter a esperança".

"Temos 10 anos para fazer regredir alguns dos processos e mitigar algumas das condições a que o planeta está sujeito", acrescentou.

A conferência internacional SOS "Sustainable Ocean Strategies" enquadra-se na Década da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável, proclamada pelas Nações Unidas (2021-2030), e no âmbito das comemorações do 20.º aniversário do CIIMAR, sendo encerrada por outro ministro, o da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor.



Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.