Revista de Imprensa Nacional


 

Lusa/Ao online   Nacional   3 de Dez de 2007, 05:20

A explosão de uma viatura que vitimou domingo de madrugada o dono do bar "Avião", em Lisboa, domina hoje as páginas dos jornais lisboetas que destacam também o empate do Sporting frente à União de Leiria.
O Correio da Manhã noticia "Guerra da noite chega a Lisboa", referindo-se ao atentado que matou domingo de madrugada o dono do bar de striptease "Avião", junto ao aeroporto de Lisboa.

    O matutino recorda as mortes de seguranças de bares e discotecas nos últimos dois meses no Porto.

    Na primeira página, o Diário de Notícias escreve "Vítima de bomba ia falar do caso Passerelle em Tribunal" que está a ser julgado no Tribunal de Leiria.

    O proprietário do bar "Avião" era sócio num estabelecimento de striptease em Ponta Delgada, com um dos arguidos do processo Passerelle, Jorge Chaves.

    O Jornal de Notícias titula "Dono de boîte e testemunha do Passerelle morto à bomba" enquanto o Público salienta "Armadilha em carro mata dono de bar de alterne".

    Sobre este assunto, o 24horas escreve "Bomba militar mata patrão da noite".

    O diário chama também à primeira página "Sporting está sem ganhar há três jornadas", salientando que os leões empataram em casa a uma bola com a União de Leiria.

    O Correio da Manhã puxa para a capa "Lenços brancos em Alvalade para Paulo Bento" e "Estado paga mais 256 reformas milionárias".

    O Diário de Notícias realça na primeira página que o ministro das Obras Públicas, Mário Lino e o ministro do Ambiente, Nunes Correia, estão em choque sobre novo aeroporto.

    "Venezuela diz `sim´ à proposta de Chávez, oposição apela à vigilância" é a manchete do jornal Público, chamando a atenção para três sondagens à boca das urnas.

    Contudo, resultados oficiais hoje de manhã indicam que os venezuelanos recusaram (50,7 por cento) proposta de reforma constitucional promovida pelo presidente Hugo Chávez e aprovada pela Assembleia Nacional para aplicar o projecto de um regime de socialismo do século XXI no país.

    O Jornal de Notícias revela na capa "Saúde privada dispara até 2009", realçando que Portugal passará a ter dentro de dois anos uma oferta de cinco mil camas hospitalares no privado.

    O Diário Económico titula "Accionistas do BCP querem presidente da Caixa na liderança", salientando que Carlos Santos Ferreira é a alternativa desejada por um grupo de accionistas para liderar o BCP.

    "Como a Brisa vai entrar no negócio da água" e “Empresas vão criar menos empregos no próximo ano" são outras chamadas de capa do DE.

    O Jornal de Negócios destaca na sua edição de hoje "BCP acusado de comprar acções próprias via `off-shores´", designadamente nos aumentos de capital de 2000 a 2001.

    "Como aplicar o seu subsídio" de Natal, "Investimento: `Rent-a Cars´ e pouca chuva explicam recuperação em 2007" e "Babcok e Abertis querem posição de João Rendeiro na Brisa" são outros temas abordados no JdN.

    O empate do Sporting frente à União de Leiria, lanterna vermelha da primeira liga portuguesa de futebol, domina naturalmente as primeiras páginas dos jornais desportivos de hoje.

    “Nem ao último” é a manchete de A Bola, ilustrando o empate a um golo registado em Alvalade, onde se assistiu a um “Frango de Rui Patrício”, a um “Penalty desperdiçado por Polga” e a “Lenços brancos para Paulo Bento”, o treinador dos “leões”, que já levam um mês sem vitórias.

    O Record defende que “Assim é demais”, sublinhando que “Polga falha penalti e Patrício oferece empate no 5º jogo sem ganhar”, num jogo que deixou os “Dragões a 12 pontos” e após o qual “Vukcevic foi ao hospital”.

    “Lenços brancos mas Paulo Bento quer continuar” é o título principal de O Jogo, que fala em “Leões cada vez mais intranquilos e a 12 pontos do líder”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.