Revista de imprensa nacional


 

Lusa/AO   Nacional   2 de Nov de 2007, 05:31

A reformulação das forças policiais e as declarações à RTP da ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, sobre o polémico estatuto do aluno são hoje os principais destaques nos matutinos lisboetas.

O Jornal de Notícias (JN) titula em manchete "Reforma nas polícias arranca em Dezembro", explicando que a PSP fica com território da GNR e passa a controlar as áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, enquanto o Correio da Manhã refere que a Guarda Nacional Republicana (GNR) vai fechar 108 postos.

    O JN destaca ainda o atropelamento de três crianças em Alcanena e o CM o caso de uma menina de 5 anos que morreu intoxicada na sequência de um incêndio na casa onde vivia.

    A polémica em torno do projecto do Estatuto do Aluno, que previa a possibilidade de os alunos faltarem às aulas e mesmo assim passar de ano, é destacada pelos jornais que citam declarações da Ministra da Educação sobre o tema numa entrevista quinta-feira à RTP.

    Maria de Lurdes Rodrigues foi à RTP depois de o PS ter alterado a proposta inicial do Governo, alterações que o líder do CDS-PP, Paulo Portas, encara como uma desautorização e que motivaram um pedido a sua demissão da ministra.

    "Ministra assume desvalorizar falta às aulas", escreve o Público, sublinhando a posição de Maria de Lurdes Rodrigues, que reafirmou que deve passar o ano quem tiver notas positivas, independentemente da assiduidade, e recusou que tenha havido um recuo do PS relativamente ao Estatuto do Aluno.

    "Ministra diz que mandou PS incluir hipótese de chumbo" e "Ministra diz que defendia chumbo", escrevem respectivamente JN e Diário de Notícias (DN).

    O Público faz manchete com o ranking das escolas, um suplemento de 64 páginas, onde compara os resultados das escolas públicas e privadas.

    O DN destaca os assaltos violentos a carros que, segundo números citados pelo jornal, cresceram 13 por cento num ano.

    Sublinha ainda na primeira página uma manifestação de jovens do Chade contra as adopções forçadas de crianças depois de vários elementos de uma associação humanitária francesa terem sido detidos naquele país por suspeita do rapto de crianças para adopção.

    O 24Horas faz manchete com o caso Casa Pia e escreve "Ministério Público não investigou telefonemas suspeitos de Namora", adiantando que o antigo aluno da Casa Pia "ligou dezenas de vezes" a Carlos Silvino (Bibi) e Ferreira Diniz, dois dos arguidos no processo de pedofilia.

    A discussão em torno do futuro do banco Millenium BCP continua nos jornais económicos.

    "Jardim Gonçalves só sai se fusão (com o BPI) avançar", escreve o Diário Económico, adiantando que o fundador do BCP continua no cargo "em nome da qualidade" se fusão falhar.

    O Jornal de Negócios diz que Fernando Ulrich (BPI) e Filipe Pinhal (BCP) "ultimam os argumentos negociais" do que será, a concretizar-se, a "quarta maior operação do ano a nível mundial no sector financeiro".

    Sobre o mesmo assunto, o Semanário Económico questiona se a compra de acções do BCP pela espanhola La Caixa (accionista com 25 por cento de acções do BPI) antes da proposta de fusão "será coincidência ou inside information".

    A localização do futuro aeroporto internacional de Lisboa e os 20 mil funcionários públicos em risco de desemprego são outros assuntos em destaque nos jornais económicos.

    O voto de confiança do presidente do Sporting, Soares Franco, no administrador e gestor de activos da SAD, Carlos Freitas, bem como a tranquilidade com que o treinador do Benfica, José António Camacho, encara a possibilidade de ser despedido chamam a atenção nos desportivos de hoje.

    “SAD está unida”, titula O Jogo, indicando que “Soares Franco afasta cenário de demissões” e destacando uma crença do presidente dos “leões”: “Sporting ainda pode chegar ao título”, apesar de estar a nove pontos do líder da liga.

    O Record, aproveitando uma entrevista do jornal desportivo espanhol Marca, dá conta de um Camacho “Sem medo de sair”, sublinhando que o treinador do Benfica “admite que não escapa aos maus resultados”, que tem uma “cláusula baixa” em caso de rescisão e que um plantel com 30 jogadores “é uma anormalidade”.

    Por seu lado, A Bola prefere destacar a recuperação de um dos avançados do Benfica com o título “Nuno (Gomes) pronto para o golo”, referindo que Camacho tem agora “mais uma opção para fazer dupla com Cardozo”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.