Revista de Imprensa Nacional


 

Lusa/ AO   Nacional   23 de Out de 2007, 06:29

O anúncio de Jardim Gonçalves de que assume dívida de 12 milhões de euros do filho, não se demitindo do BCP, é hoje destacado pelos jornais de Lisboa, que sublinham ainda o afogamento de quatro turistas no Algarve.
O Público faz manchete com o título “Jardim Gonçalves assume dívida do filho e não se demite do BCP”.

    De acordo com o jornal, o presidente do conselho geral e de supervisão do BCP, Jorge Jardim Gonçalves, escreveu uma carta ao actual líder do banco, Filipe Pinhal, na qual se responsabilizou por todas as dívidas contraídas pelo filho junto da instituição.

    Jardim Gonçalves já fez saber que não pretende afastar-se do cargo de presidente do conselho geral e de supervisão, adianta ainda o Público.

    O Diário de Notícias escreve que “Cenário de OPA espanhola sobre o BCP ganha força” enquanto o Correio da Manhã titula “Jardim Gonçalves paga dívida”.

    O Jornal de Notícias diz que “Jardim paga mas fica”, referindo que assume dívida de 12 milhões do filho e não abandona supervisão do BCP.

    O Jornal de Negócios noticia “Jardim Gonçalves paga dívida do filho mas mantém-se no banco” e o Diário Económico titula “Jardim paga dívida perdoada ao filho”.

    O Público chama à primeira página a entrada em funcionamento do relógio do Arco da Rua Augusta.

    Destaca também que “portugueses ainda bebem água poluída” e que “Procurador-Geral da República está disposto a falar de escutas ilegais” no Parlamento.

    O Jornal de Notícias avança na capa “64 mil obrigados a repor 80 milhões por fuga à Sisa”, salientando que o Fisco ataca compradores que declararam na escritura da casa valor abaixo do real.

    As mais-valias apresentadas pelos vendedores são também alvo de nova tributação, revela o JN.

    O choque entre um pesado, um autocarro e vários carros ligeiros no Viaduto Duarte Pacheco, em Lisboa, que causou um ferido grave está também em destaque no JN.

    “Onda mata quatro turistas” na Praia do Tonel, Algarve, é a manchete do Correio da Manhã, salientando que o mar arrastou três ingleses e um alemão, que morreram afogados.

    O CM destaca ainda “Caso Maddie sem segredo a partir de Novembro”, “Militares querem ganhar mais 15,5 por cento” e “Pinto Monteiro protegido por Cavaco Silva e José Sócrates”.

    O Diário de Notícias faz manchete com o título “Vacina do cancro vendida ilegalmente a crédito”.

    Uma farmácia no Porto está a vender as vacinas contra o cancro do colo do útero a preço de fábrica e dá a possibilidade aos utentes de pagar a prestações, através de uma empresa de crédito ao consumo.

    Contudo, a lei proíbe comércio de medicamentos a prestações, acrescenta o DN.

    “Estrelas de Hollywood desalojadas por fogos”, “Algarve: Pais morrem a resgatar filhos do mar” e “[Jorge] Lacão confirma Santarém como sede de turismo” são outras chamadas de capa do DN.

    O 24horas notícia “Polícia investiga vestígios de Maddie em casa de [Robert] Murat”, referindo ainda que o pai da menina inglesa desaparecida no Algarve há mais de cinco meses vai voltar a trabalhar antes do Natal.

    “Megaprocesso de contrabando acaba em megafiasco”, “Parlamento: Querem pôr os pais a pagar multas por os filhos faltarem às aulas” e “Tonel é o jogador mais cobiçado do Sporting” são outros títulos do 24horas.

    “Crise no imobiliário agrava-se em Portugal” realça o Diário Económico em manchete, salientando que as casas demoram cada vez mais a vender e a preços cada vez mais baixos.

    O económico puxa ainda para a capa “Greve de três dias ameaça lucros da TAP”, “Catálogo da Afinsa ainda é a referência no preço dos selos” e “PS abre caminho à aprovação do Tratado de Lisboa sem referendo”.

    Na primeira página, o Jornal de Negócios destaca “Autarquias: Pagamento a fornecedores reduzido a seis meses”.

    De acordo com o JdN, os credores chegam a esperar dois anos para que as câmaras liquidem as facturas.

    Os municípios, escreve o económico, podem negociar empréstimos para pagar dívidas contraídas até Junho.

    O JdN realça ainda uma entrevista ao CEO do grupo Soares da Costa, Pedro Gonçalves, na qual afirma: “Soares da Costa quer actuar nas concessões e energia”.

    O jogo de hoje entre Sporting e AS Roma, no Estádio Olímpico da cidade italiana, pontuável para a terceira jornada da Liga dos Campeões em futebol, assume hoje natural destaque nas primeiras páginas dos jornais desportivos.

    “Ir a Roma e não ver o Estádio” é o título escolhido por A Bola para ilustrar as dificuldades encontradas pelo Sporting para chegar a Itália.

    O jornal refere que “Fora de horas e sem equipamentos, Leões falham treino” e sublinha que o “Plano de viagem esqueceu greve nos aeroportos de Itália”.

    Apesar dos problemas, O Jogo garante na sua manchete que “Nada os abate”, sublinhando que a “Greve atrasou voo e cancelou treino dos leões”.

    Igualmente em relação ao encontro previsto para as 19:45, com transmissão na RTP1, o Record acredita que “Está na hora de Liedson”, o avançado do Sporting que se encontra “Há 2 anos e meio sem marcar na Europa”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.