Revista de imprensa nacional


 

Lusa/AO   Nacional   29 de Set de 2008, 06:25

Uma sondagem sobre a evolução do ensino nos últimos 20 anos, novas queixas de professores quanto à avaliação ao desempenho dos docentes e a crise bancária são temas hoje em destaque na imprensa de Lisboa.
 O Correio da Manhã faz manchete com uma sondagem na qual foi avaliada a evolução do ensino nos últimos 20 anos, titulando “Escola divide portugueses”.

    De acordo com a sondagem, 43 por cento dos portugueses considera que o ensino está melhor enquanto 41 por cento diz estar pior.

    O destaque fotográfico do CM vai para a meia-maratona de Lisboa na qual participou o primeiro-ministro, José Sócrates.

    O Jornal de Notícias avança na sua edição de hoje “Professores abrem nova guerra contra avaliação”.

    O jornal diz que a Fenprof já recebeu 500 queixas sobre análise ao desempenho dos professores.

    Os docentes, escreve o JN, rejeitam que notas dos alunos contem para a progressão na carreira.

    O JN puxa ainda para a capa o título “Unidos de facto mas sem direitos”.

    O matutino adianta que o Tribunal Constitucional obriga a fazer prova de total ausência de recursos para a parte requerente ter acesso a pensão de sobrevivência.

    “Europa em alerta máximo para evitar crise bancária” é a manchete do Diário de Notícias, contando que a Bélgica, a Holanda e o Luxemburgo decidiram entrar no capital do conglomerado financeiro Fortis.

    Nos Estados Unidos, há luz verde para o plano de salvação financeira, acrescenta o jornal.

    Na primeira página, o DN realça ainda a vitória de Fernando Alonso no circuito urbano de Singapura, a primeira corrida nocturna da Fórmula 1.

    O Público revela na capa “Caravela com 500 anos em risco de ser submersa na costa da Namíbia”.

    O jornal diz que o barco português naufragado foi descoberto em Abril.

    O tesouro que a caravela continha já foi recuperado por arqueólogos e está avaliado em 70 milhões de euros.

    O Público destaca também a meia-maratona de Lisboa titulando “Sang vence em Lisboa em dia de recorde em Berlim”.

    O 24horas avança “Segurança Social à caça de João Loureiro”, contando que o ex-presidente do Boavista reteve 77 mil euros dos jogadores e não os entregou ao Estado.

    O diário adianta ainda que as “Câmaras estão a arder com milhões em rendas sociais” e que “Suspeitos de pedofilia mudam de cadeia com medo de agressões”.

    “Funcionários públicos da Justiça são os que recebem mais prémios” escreve o Diário Económico.

    De acordo com o económico, este ano, vão ser pagos cinco milhões de euros no Estado em prémios por bom desempenho.

    O DE destaca ainda uma entrevista a Almerindo Marques quase um ano após ter assumido a presidência da Estradas de Portugal.

    Almerindo Marques diz ao jornal que “Crise torna mais difícil a gestão das novas estradas”.

    Por fim, o Jornal de Negócios puxa para a capa “Barclays e BCP ignoram Governo e mantêm comissões no crédito”.

    O económico divulga na sua edição os bancos que cortaram as comissões de renegociação.

    “Os melhores depósitos para a crise” e “Governos salvarão grandes bancos, dizem ex-governadores” são outros títulos em destaque no JdN.

    Dois dias depois do Benfica-Sporting (2-0), os matutinos desportivos continuam a dedicar a capa a análises e comentários ao jogo.

    A Bola faz manchete com foto do espanhol Reyes (Benfica), para dizer que é “especialista em ‘derbies’”, uma vez que o desafio de sábado “foi o 6º ‘derby’ diferente em que brilhou, tendo marcado em 4” e que “como titular só perdeu um jogo… mas não ficou em branco”.

    O matutino refere o jogo de sábado terminou com nova lesão de Pablo Aimar (Benfica), que assim “falha Nápoles”, desafio da segunda mão da Taça UEFA.

    O jornal anuncia ainda que o Inter de Milão de José Mourinho perdeu com o Milão, por 1-0, e deixou de comandar a liga italiana.

    Em O Jogo João Vieira Pinto estreia-se como comentador e escreve sobre o Benfica-Sporting, referindo que “faria como Quique [treinador do Benfica] e mexia antes de Bento [treinador do Sporting].

    O ex-futebolista, que abandonou a carreira no final da época passada e que jogou, entre outros, nas “águias” e nos “leões”, considera ainda que o Benfica “ganhou mais opções” esta época e que se percebeu que o grego Katsouranis, que tem sido utilizado como central, “tem de jogar pelo meio”.

    Sobre o Benfica, o jornal diz que “Reyes dedica golo de trivela ao filho” e que Nuno Gomes e Di Maria vão formar a dupla atacante no desafio com o Nápoles.

    Quanto ao Sporting, refere os “7 pecados mortais no dérbi” e que o técnico Paulo Bento tem um dilema: fazer ou não jogar Vukceciv e Izmailov no próximo jogo com o Valência, da Liga dos Campeões, ou contra o FC Porto, na próxima jornada da liga portuguesa.

    O Record anuncia “Aimar em perigo”, explicando que se registou uma “recaída do argentino em vésperas de receber Nápoles para a Taça UEFA”.

    No ataque do Benfica, diz o jornal, “Nuno Gomes é o único disponível”, citando uma afirmação do jogador: “podemos eliminá-los”, e anuncia que a dupla de centrais do Benfica (Sidnei e Miguel Vítor) esteve “sem faltas no dérbi”.

    O matutino desportivo diz que o russo Izmailov e o montenegrino Vukcevic, ambos do Sporting, treinam “já com bola”, mas que o argentino Romagnoli está “em dúvida”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.