Provável nomeação de filho de Sarkozy para empresa pública suscita polémica


 

Lusa / AO online   Economia   12 de Out de 2009, 16:46

A provável promoção de Jean Sarkozy, 23 anos, filho do presidente francês, à presidência do organismo público que gere a zona de negócios de la Défense, na periferia de Paris, está a suscitar críticas e acusações de nepotismo.
No final da semana passada, vários membros da UMP, partido de Nicolas Sarkozy, confirmaram informações que tinham surgido na imprensa indicando que Jean Sarkozy poderá assumir em Dezembro a presidência do Organismo Público de Gestão do Bairro de Negócios de la Défense.

A sua candidatura a administrador deste organismo vai ser apresentada no próximo dia 23 no conselho geral do departamento de Hauts de Seine, anunciou quinta-feira a UMP.

Jean Sarkozy deverá substituir Patrick Devedjian que terá de deixar o cargo ao completar 65 anos.

A oposição de esquerda e os centristas não poupam críticas a esta promoção e acusam o Chefe de Estado de ter esquecido os valores republicanos segundos os quais os cargos são ocupados por mérito e não por herança.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.