Açoriano Oriental
Organização faz balanço positivo do Outono Vivo e da XV Feira do Livro 2020

O presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, Tibério Dinis, faz “balanço positivo” da edição 2020 do Outono Vivo e da XV Feira do Livro, que decorreram desde o passado dia 23 de outubro, na Academia de Juventude e das Artes da Ilha Terceira, Auditório do Ramo Grande e Jardim Municipal Silvestre Ribeiro, destacando “a forte aposta nos artistas e escritores locais e regionais”.

Organização faz balanço positivo do Outono Vivo e da XV Feira do Livro 2020

Autor: Susete Rodrigues/AO Online

Citado em comunicado, o autarca destacou o “importante papel pedagógico” que esta edição teve ao nível “do incentivo à literatura e à promoção de hábitos de leitura junto dos mais novos”, recordando que o município distribuiu vouchers por todas as crianças a frequentar creches, jardins de infância e escolas do primeiro ciclo do Concelho (no valor global de 4000 euros), para que “os mais novos pudessem adquirir livros”, na senda de concretização da política municipal de criação e estímulo a hábitos de leitura e de escrita nas faixas etárias mais jovens da sociedade praiense.

No final do “maior evento cultural realizado este ano nos Açores”, Tibério Dinis registou que “a Praia da Vitória, mais uma vez, mostrou que é possível desconfinar com segurança e com confiança, mantendo as atividades culturais e sociais em desenvolvimento, em articulação com as autoridades de saúde e fazendo chegar o apoio necessário aos artistas, autores e escritores locais e regionais”.

Salientando que a edição 2020 do Outono Vivo ficou marcada “por este tempo de pandemia”, o autarca praiense reconheceu a necessidade de “uma programação mais restrita do que é habitual”, mas, sublinhou que, “de todo o modo, foi importantíssimo realizar este Outono Vivo mostrando que a cultura não pode parar, mesmo em tempo de pandemia”.

Aliás, acrescentou, “creio que a mensagem principal que se pode tirar do Outono Vivo 2020 é a de que devemos desenvolver a nossa vida em segurança, com as adaptações possíveis, desde que cumprindo com todas as regras e recomendações das autoridades de saúde”.

Salientando “a trajetória de crescimento” do evento, “a grande notoriedade regional e nacional que já alcançou” e manifestando a esperança de que, no futuro, “sejam dadas asas aos sonhos de fazer crescer o Outono Vivo”, o autarca comprometeu-se “com uma internacionalização” do evento, fazendo o Outono Vivo chegar à Diáspora e à Lusofonia.

Recorde-se que a edição 2020 do Outono Vivo e da XV Feira do Livro decorreu entre 23 de outubro e 8 de novembro, cumprindo com todas as normas de segurança definidas pelas autoridades de saúde, disponibilizando 50 mil livros, com chancelas de mais de 60 editoras e 22 mil títulos na Feira do Livro e promovendo espetáculos de teatro, concertos, sessões de cinema, conferências, debates, exposições de arte, recitais de poesia e apresentações de livros.



 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.