Observatório de Proteção Civil quer contribuir para um país mais seguro e preparado


 

Lusa/AO online   Nacional   12 de Dez de 2013, 18:04

O Observatório de Proteção Civil e Safety quer contribuir para a existência de um país mais seguro e preparado para responder a riscos violentos e imprevisíveis, como cheias, sismos ou incêndios florestais.

 

“Numa base técnica, científica e operacional queremos indicar alguns caminhos para que existam cidadãos cada vez mais responsáveis e bem preparados para qualquer eventualidade”, disse aos jornalistas o diretor do Observatório de Proteção Civil, Paulo Gil Martins.

O Observatório, que engloba os setores da proteção civil, segurança no trabalho, segurança contra incêndios em edifícios, socorro e da emergência foi criado pela Universitas – Cooperativa de Ensino Superior e Investigação Científica, fundadora do Instituto Superior de Educação e Ciências em Lisboa.

Gil Martins explicou que o observatório é baseado numa estrutura académica, mas que pretende abrir-se ao país real e aos técnicos da área, colocando em cima da mesa algumas questões que, normalmente, não são muito discutidas.

O observatório, que se assume como um espaço de interação, reflexão e debate sobre temas fundamentais à segurança, constitui-se ainda como palco para o debate técnico, científico e cultural.

“Vamos apresentar propostas, ver aquilo que está a ser feito e o que devia ser feito nesta área”, afirmou Gil Martins, adiantando que o observatório quer “colaborar, cooperar, trocar ideias, debater no sentido de tornar o país mais resiliente a estes novos invasores que atualmente acontecem em qualquer parte do mundo”.

O diretor do observatório referiu também que “ninguém está preparado” para os riscos que cada vez são “mais graves, imprevisíveis e violentos" e que não se podem evitar.

No entanto, considerou que se pode criar medidas para defender e prevenir este tipo de situações de forma a tornar mais sustentada as consequências destes riscos.

Gil Martins disse ainda que o observatório pretende que, “dentro de alguns anos, exista uma geração que tenha mais sensibilidade para estas questões da segurança e da proteção dos bens e das pessoas”.

Presente na cerimónia de apresentação, o secretário de Estado da Administração Interna, Filipe Lobo D´Ávila, considerou o observatório “muito importante”, tendo em conta que reúne várias personalidades do ponto de vista académico e operacional com muito conhecimento na área da proteção civil.

O secretário de Estado destacou o caráter privado da iniciativa, que visa dar um contributo importante nas matérias mais profundas que estão em debate permanente.

O Observatório de Proteção Civil e Safety vai atribuir, a partir de 2014, prémios de excelência nas várias áreas de intervenção, bem como, bolsas de estudo destinadas a trabalhos técnico-científicos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.