Ambiente

Nova Etar é uma das mais importantes do país

Nova Etar é uma das mais importantes do país

 

Lusa/AOonline   Nacional   19 de Nov de 2008, 15:26

O ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Desenvolvimento Regional, Francisco Nunes Correia, considerou a ETAR Norte de Leiria, inaugurada hoje, “uma das mais importantes que se construíram no país”.
A infra-estrutura instalada na freguesia do Coimbrão, que vai receber e tratar efluentes no equivalente a 250 mil habitantes dos municípios de Leiria, Batalha, Marinha Grande e Porto de Mós, foi elogiada hoje pelo ministro, durante a cerimónia de inauguração.

    “Esta é a maior ETAR da região centro e uma das melhores construídas em Portugal, com tecnologia muito sofisticada. Desde o início que está prevista para tratar também uma componente da suinicultura, podendo resolver qualquer coisa como cerca de 20 por cento do problema da suinicultura da região - valores na ordem dos 300 metros cúbicos por dia”, sublinhou Francisco Nunes Correia, lembrando o esforço de despoluição da bacia do rio Lis.

    A ETAR Norte, uma obra da Simlis, empresa responsável pelo Sistema Multimunicipal de Saneamento do Lis, representa um investimento de 15,6 milhões de euros, financiado em 80 por cento pelo Fundo de Coesão da União Europeia.

    Tem capacidade para tratar diariamente cerca de 38.000 metros cúbicos de águas residuais, dos quais 77 por cento são domésticos, 18 por cento provenientes de indústrias e 5 por cento são efluentes suinícolas.

    Esta infra-estrutura é a obra mais importante do Sistema Multimunicipal de Saneamento do Lis, que contempla mais oito estações de tratamento de águas residuais, 26 estações elevatórias e 339 quilómetros de emissários, num investimento global de 94 milhões de euros.

    “Tudo isto é feito com enorme integração de tecnologia nacional. Trata-se também de um sucesso para a engenharia portuguesa”, concluiu o ministro

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.