Açoriano Oriental
Nomeados padres em São Miguel por “necessidade”

Apesar de não competências formais para isso, administrador diocesano foi forçado a fazer as nomeações por motivos de força maior. Padre Ricardo Tavares, ex-diretor regional da Cultura, irá para a Atalhada

Nomeados padres em São Miguel por “necessidade”

Autor: Nuno Martins Neves

O Administrador Diocesano da Diocese de Angra nomeou ontem oito padres na ilha de São Miguel, como forma de evitar deixar “o povo de Deus como ovelhas sem pastor”.

Segundo nota publicada no site Igreja Açores, as nomeações surgem devido a “imposições  da realidade e por motivos de força maior” e só assim se justificam, pois o cónego Hélder Fonseca Mendes não tem, formalmente, competências para proceder a nomeações de novos párocos.

“Sem termos a noção do termo da ‘sede vacante’, a não deixar o Povo de Deus como ovelhas sem pastor, sem remover párocos, sem alterações noutras ilhas, torna-se necessário nomear de imediato, com efeitos a partir dos atos de tomada de posse, os titulares para os respetivos ofícios até que o futuro bispo de Angra ou o Administrador Diocesana disponham diversamente”, refere a nota de imprensa.

A mês e meio da abertura normal do ano pastoral na diocese de Angra - que continua em “sede vacante” desde a nomeação de D. João Lavrador como bispo de Viana do Castelo - foi entendido pelo Administrador Diocesano proceder às nomeações.

Assim, na ouvidoria de Ponta Delgada, o padre Norberto Brum, pároco da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima e atual diretor do Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil, vai ficar também responsável pela Pastoral Universitária, já que o atual diretor, padre Paulo Vieira, padre dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos) regressará ao Continente para serviços na sua congregação. Ainda nesta ouvidoria, monsenhor José Medeiros Constância é reconduzido como diretor do Instituto Católico de Cultura, acumulando com os Serviços Diocesanos da Pastoral familiar, da Cultura e do Ecumenismo.

Na ouvidoria da Lagoa, o até agora vigário paroquial na Matriz dePonta Delgada, o padre João Silva, assume funções como Administrador Paroquial de Nossa Senhora do Rosário.  Para a Paróquia de Nossa Senhora das Necessidades, na Atalhada, é nomeado Administrador Paroquial o antigo diretor regional da Cultura, o padre Ricardo Tavares.

Na Ribeira Grande, o padre Nuno Sousa, até agora Vigário Paroquial de São Miguel Arcanjo, São Pedro e São Lázaro, em Vila Franca do Campo, é nomeador para a Paróquia do Senhor Bom Jesus, em Rabo de Peixe. Regressa igualmente à diocese o padre João Chaves, sacerdote do Sagrado Coração de Jesus, que é nomeado capelão do Mosteiro das Clarissas, nas Calhetas.

Por último, em Vila Franca do Campo, o padre Nélson Vieira assume funções como Vigário paroquial das paróquias de São Miguel Arcanjo, São Pedro e São Lázaro.


Padre da polémica em Rabo de Peixe vai para a Povoação

Na ouvidoria da Povoação entra o padre Francisco Zanon, que é nomeado Administrador Paroquial das paróquias de Santa Ana, nas Furnas e de São Paulo na Ribeira Quente, substituindo o padre Ricardo Pimentel.

Francisco Zanon foi, até novembro passado, pároco na igreja do Bom Jesus, em Rabo de Peixe, tendo deixado o cargo após a polémica relacionada com o inquérito dirigido aos jovens que se preparavam para o Crisma, que continha perguntas íntimas. O processo ao padre foi resolvido, segundo explicou ao Açoriano Oriental o Administrador Diocesano, o cónego Hélder Fonseca Mendes.



PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados