Médio Oriente

Navio interceptado levava 60 toneladas de armas do Irão para o Hezbollah


 

Lusa/AO Online   Internacional   4 de Nov de 2009, 11:32

Responsáveis da Defesa israelita informaram hoje que o navio interceptado durante a noite no Mediterrâneo transportava 60 toneladas de armas, provenientes do Irão e destinadas à guerrilha do movimento xiita libanês Hezbollah.

Segundo os responsáveis, citados pela agência norte-americana Associated Press sob condição de anonimato, o carregamento incluía mísseis, armas anti-tanque e morteiros.

A partir de informações dos serviços secretos, uma unidade naval que patrulhava a zona interceptou e abordou o navio sem incidentes.

A intercepção ocorreu hoje antes do amanhecer nas águas territoriais de Chipre, a cerca de 100 milhas náuticas (150 quilómetros) da costa de Israel.

Segundo o vie-ministro da Defesa israelita, Matan Vilnai, a tripulação, dirigida por um comandante polaco, desconhecia o carregamento de armas.

O navio, o Francop, foi rebocado para o porto israelita de Ashdod (sul) para que o armamento seja descarregado.

O navio é operado pela empresa cipriota United Feeder Services, que sustenta ter embarcado o carregamento em Damietta, no Egipto, desconhecendo o seu conteúdo ou origem. Um funcionário da empresa disse ainda que o navio seguia a rota do Egipto para Chipre e, daí, para o Líbano e a Turquia.

O ministro da Defesa israelita, Ehud Barak, classificou a intercepção do navio como "mais um êxito contra as inabaláveis tentativas de traficar armas para fortalecer elementos terroristas que ameaçam a segurança de Israel". O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, afirmou que as armas apreendidas "se destinavam a atingir cidades de Israel".

Esta foi a segunda maior apreensão de armas feita por Israel. Em Janeiro de 2002, forças israelitas tomaram de assalto o navio de carga Karine A no Mar Vermelho e confiscaram 50 toneladas de mísseis, morteiros, espingardas e munições destinadas a grupos palestinianos da Faixa de Gaza.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.