Açoriano Oriental
Miguel Oliveira quer voltar aos pódios do MotoGP em 2024

O português Miguel Oliveira (Aprilia) pretende voltar aos pódios do MotoGP, na nova equipa Trackhouse, depois de um ano negativo no Campeonato do Mundo, marcado por vários abandonos e algumas lesões.

Miguel Oliveira quer voltar aos pódios do MotoGP em 2024

Autor: Lusa/AO Online

“Tudo o que ficou de 2023 não foi muito positivo, portanto acho que as coisas facilmente serão melhores este ano”, começou por dizer o piloto natural de Almada, em entrevista à agência Lusa, antes de um convívio com os seus fãs, numa discoteca de Lisboa.

Miguel Oliveira concluiu no Qatar a primeira das 21 corridas da temporada no 15.º lugar, numa prova em que teve de cumprir uma ‘long lap’ (volta longa), como penalização pelo acidente, no mesmo circuito, no ano passado, que provocou a queda de Aleix Espargaró e Enea Bastianini, e o afastou do último Grande Prémio da temporada, em Valência, por lesão.

“O facto de fazer a ‘long lap’ fez-me perder alguns segundos, mas também o mais importante, que é a posição na pista. Fui num grupo que era rápido, com capacidade para gerir bem os pneus e, como se viu no final, tive pneus e andamento para me chegar a eles. Estando lá, desde início, com esses pilotos, é mais fácil para ultrapassar”, explicou o português, que conquistou um ponto, ressalvando que “o 11.º ou 10.º seria o resultado real” caso não tivesse cumprido esta penalização.

Para o seu sexto ano na MotoGP, após cinco vitórias, Miguel Oliveira, que tem como melhor classificação o nono lugar alcançado em 2020, cobiça o regresso aos pódios, aos quais já subiu sete vezes na categoria ‘rainha’ do motociclismo de velocidade.

“Este ano o meu maior objetivo é poder voltar às vitórias. No ano passado não venci nenhuma corrida, não fiz nenhum pódio, e, este ano, gostava de voltar a pisar um pódio”, rematou, depois de, em 2023, ter abandonado sete corridas e ficado afastado de quatro por lesão.

A próxima prova do Mundial de MotoGP vai ser o Grande Prémio de Portugal, entre 22 e 24 de março, no Autódromo Internacional do Algarve (AIA), em Portimão, onde Miguel Oliveira espera reforçar a ambição.

“Antes do Grande Prémio [do Qatar] previ que lutar pelo top 10 era um bom resultado no Qatar. Não me enganei por muito. Portimão é um circuito em que passamos mais tempo inclinados e acho que isso pode ser benéfico para nós, como a mota está neste momento e com algumas alterações que temos em mente fazer. Não sei qual será o bom resultado, mas gostaria que, depois de o fim de semana começar, poder ter esse objetivo mais concreto”, concluiu.

PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados