Pescas

Marcelo Pamplona defende preservação da zona económica

Marcelo Pamplona defende preservação da zona económica

 

Lusa / AO online   Regional   4 de Dez de 2009, 15:09

O subsecretário regional das Pescas, Marcelo Pamplona, defendeu esta sexta-feira, em Ponta Delgada, a necessidade de preservar uma zona económica que garanta uma actividade de pesca a longo prazo nos Açores.
 “Estivemos a sinalizar as grandes preocupações da região no quadro da Política Comum de Pescas, nomeadamente o princípio base da sustentabilidade da gestão das pescas”, afirmou Marcelo Pamplona.

O subsecretário regional das Pescas falava aos jornalistas no final de uma reunião com representantes da União Europeia, durante a qual esteve em análise a reforma da Política Comum de Pescas.

Marcelo Pamplona destacou ainda a necessidade de prosseguir com a modernização da frota de pesca açoriana e a importância de criar condições que permitam atrair os jovens para esta actividade.

Nos Açores existem actualmente 697 embarcações de pesca licenciadas, que operam em 46 portos e 15 núcleos de pesca espalhados pelas nove ilhas do arquipélago.

Nas preocupações do executivo regional está também a necessidade de se manter o regime de apoio ao escoamento dos produtos da pesca na região, o que permitirá contribuir para o desenvolvimento económico das comunidades piscatórias.

Marcelo Pamplona garantiu que o sector das pescas nos Açores “está unido em torno de um objectivo comum”, no sentido de garantir uma actividade de pesca a longo prazo.

“Temos uma plataforma muito curta e a nossa zona é biologicamente muito sensível, daí a necessidade da sua preservação”, afirmou.

Nas declarações que prestou aos jornalistas, Marcelo Pamplona considerou ainda “interessante” que a Comissão Europeia tenha reconhecido a existência de uma zona biogeográfica marinha específica das regiões ultra-periféricas dos Açores, Madeira e Canárias.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.