Josef Fritzl acusado de homicídio

 Josef Fritzl acusado de homicídio

 

Lusa/AOonline   Internacional   13 de Nov de 2008, 17:11

O austríaco Josef Fritzl, que manteve cativa numa cave e violou a filha durante 24 anos, foi acusado do homicídio de um dos seus sete filhos-netos, que morreu em 1996, anunciou a Procuradoria de Viena.
A acusação significa que Fritzl, 73 anos e em prisão preventiva desde finais de Abril, poderá enfrentar uma pena de prisão de 10 a 20 anos ou até mesmo a prisão perpétua, devendo o julgamento começar no início de 2009.

    De acordo com a Procuradoria austríaca, o acusado "tendo conhecimento da situação de perigo para a vida real do bebé, omitiu premeditadamente a situação, rejeitando a ajuda necessária de terceiros".

    A acusação foi baseada num relatório forense que concluiu que o recém-nascido, que tinha um gémeo que acabaria por sobreviver, teria vivido se tivesse recebido assistência médica.

    O corpo do bebé foi incinerado num forno por Josef Fritzl.

    Fritzl, apelidado "monstro de Amstetten" (a localidade onde vivia) pelos meios de comunicação social, foi ainda acusado de escravatura, violação, reclusão, coacção e incesto.

    A filha de Josef Fritzl, Elizabeth, foi violada repetidamente pelo pai tendo tido sete filhos dele.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.