Açoriano Oriental
Jaime Silva confiante em boas notícias para os armadores portugueses
 O ministro da Agricultura e Pescas, Jaime Silva, disse acreditar que já hoje, no primeiro dia das negociações sobre as possibilidades de pesca para 2009, em Bruxelas, terá boas notícias para os armadores portugueses.
article.title

Foto: PAULO CARRICO / LUSA
Autor: Lusa/AO Online
Jaime Silva falava à entrada para a reunião de dois dias dos ministros das Pescas da União Europeia, na qual se fixarão as possibilidades de pesca para 2009 (TAC - totais admissíveis de captura) e a sua distribuição pelos Estados-membros (quotas).

    Reafirmando a oposição à proposta original da Comissão Europeia, sobretudo no que respeita às possibilidades de pesca do carapau, Jaime Silva disse que "os armadores e suas associações têm razão" nas suas queixas, mas acredita que ainda esta tarde poderá dar-lhes "algum sossego".

    "Eles (armadores) queixam-se e o Governo português também se queixa. Dificilmente Portugal poderia sair daqui aceitando a proposta da Comissão", disse, apontando como uma das principais razões de queixa a proposta de Bruxelas de juntar duas zonas de pesca do carapau numa só, "o que iria colocar problemas à frota portuguesa relativamente à frota espanhola" e poderia representar "uma redução (das quotas) que até 40 por cento".

    "Estou confiante que isso não vai acontecer. Aquilo que temos feito um pouco nos bastidores dá-nos a garantia que a Comissão logo na sua primeira proposta de compromisso vai dar-nos razão", disse Jaime Silva.

    Essa primeira proposta de compromisso será apresentada pelo executivo aos 27 ainda hoje.

    Portugal, apontou Jaime Silva, quer também um aumento da quota de bacalhau e da pescada e um plano de recuperação para o tamboril, em vez do corte "linear" de 25 por cento proposto por Bruxelas.

   
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.