Jaime Silva confiante em boas notícias para os armadores portugueses

Jaime Silva confiante em boas notícias para os armadores portugueses

 

Lusa/AO Online   Economia   18 de Dez de 2008, 14:09

 O ministro da Agricultura e Pescas, Jaime Silva, disse acreditar que já hoje, no primeiro dia das negociações sobre as possibilidades de pesca para 2009, em Bruxelas, terá boas notícias para os armadores portugueses.
Jaime Silva falava à entrada para a reunião de dois dias dos ministros das Pescas da União Europeia, na qual se fixarão as possibilidades de pesca para 2009 (TAC - totais admissíveis de captura) e a sua distribuição pelos Estados-membros (quotas).

    Reafirmando a oposição à proposta original da Comissão Europeia, sobretudo no que respeita às possibilidades de pesca do carapau, Jaime Silva disse que "os armadores e suas associações têm razão" nas suas queixas, mas acredita que ainda esta tarde poderá dar-lhes "algum sossego".

    "Eles (armadores) queixam-se e o Governo português também se queixa. Dificilmente Portugal poderia sair daqui aceitando a proposta da Comissão", disse, apontando como uma das principais razões de queixa a proposta de Bruxelas de juntar duas zonas de pesca do carapau numa só, "o que iria colocar problemas à frota portuguesa relativamente à frota espanhola" e poderia representar "uma redução (das quotas) que até 40 por cento".

    "Estou confiante que isso não vai acontecer. Aquilo que temos feito um pouco nos bastidores dá-nos a garantia que a Comissão logo na sua primeira proposta de compromisso vai dar-nos razão", disse Jaime Silva.

    Essa primeira proposta de compromisso será apresentada pelo executivo aos 27 ainda hoje.

    Portugal, apontou Jaime Silva, quer também um aumento da quota de bacalhau e da pescada e um plano de recuperação para o tamboril, em vez do corte "linear" de 25 por cento proposto por Bruxelas.

   

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.