Açoriano Oriental
“IDN 1851 – The Santa Maria Air Disaster”, de Francisco Cunha no Top 10 de vendas da Amazon

O livro “IDN 1851 – The Santa Maria Air Disaster”, da autoria de Francisco Cunha, esteve, durante o ano de 2019, no Top 10 de vendas da Amazon Alemanha e no Top 30 da Amazon Reino Unido, na categoria destinada a livros sobre aviação.


Foto: Direitos Reservados
Autor: Susete Rodrigues/AO Online

De acordo com comunicado, a obra, que foi lançada em inglês inicialmente apenas em versão digital, foi publicada há cerca de um ano, assinalando os então 30 anos do pior desastre aéreo ocorrido em Portugal. Registe-se ainda que o livro, até ao momento, recebeu apenas avaliações de 5 estrelas no site da Amazon.

Refira-se que o autor realizou ainda uma edição limitada em papel do seu livro em inglês, lançada em outubro de 2019 e que já se encontra praticamente esgotada. Por sua vez, a edição portuguesa, já esgotada em papel, mantém-se disponível na Amazon, em formato Kindle.

Recorde-se que o livro parte dos eventos de 8 de fevereiro de 1989, quando o voo 1851 da companhia “charter” americana Independent Air se despenhou no Pico Alto, na ilha de Santa Maria, enquanto se preparava para aterrar no aeroporto local para uma escala técnica, perdendo a vida todos os 144 ocupantes, a maioria turistas italianos, com destino à República Dominicana.


A obra foca sobretudo na investigação às causas do desastre, tendo o autor contado com o contributo de diversos peritos nacionais e estrangeiros. A par da vertente técnica, a obra destaca também o aspeto humano, com depoimentos de intervenientes que lidaram diretamente com a tragédia. Outros temas abordados incluem o impacto do acidente no estrangeiro, a par do legado da tragédia, sendo ainda efetuada uma síntese do papel da ilha de Santa Maria na aviação mundial.

Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.