Há menos empenho na defesa das Lajes desde que Portas deixou MNE

Há menos empenho na defesa das Lajes desde que Portas deixou MNE

 

Lusa/AO Online   Regional   27 de Nov de 2013, 12:22

O PS/Açores disse hoje que há a nível da República "uma redução de empenho" na defesa da base das Lajes desde que Paulo Portas deixou de ser ministro dos Negócios Estrangeiros.

Os socialistas açorianos, através do líder da bancada do PS no parlamento regional, Berto Messias, manifestou ainda “perplexidade” por PSD e CDS terem chumbado, na Assembleia da República, uma proposta do PS que previa a criação de um plano de revitalização económica para a ilha Terceira para assim minimizar o impacto da redução do efetivo militar norte-americano nas Lajes.

“Fica claro que houve aqui uma redução de empenho na defesa dos interesses da Praia da Vitória, da ilha Terceira e dos Açores relativamente à base das Lajes por parte do Governo da República desde que o ministro Paulo Portas deixou ser ministro dos Negócios Estrangeiros”, considerou Berto Messias, em declarações aos jornalistas na Horta.

Para o socialista, “o novo titular da pasta” parece ter “uma única preocupação em termos de política externa, relacionada com Angola e com Luanda”, o que considerou “motivo de preocupação”.

“Esperamos mais e queremos mais deste Governo da República nesta questão. Esta matéria no Orçamento do Estado era uma ótima oportunidade para realçar isso”, afirmou.

A proposta do PS, apresentada por iniciativa dos deputados eleitos pelos Açores, previa a consagração no Orçamento do Estado da “criação de um plano de revitalização económica que amenize o impacto social e económico” da saída significativa de militares dos EUA e respetivas famílias da Terceira, “a ser implementado em articulação com o Governo dos Açores”.

Segundo Berto Messias, PSD e CDS chumbaram a proposta sem “qualquer tipo de justificação financeira ou política” e inclusivamente os deputados do PSD eleitos pelos Açores votaram contra, o que deixa os socialistas açorianos também “surpreendidos”.

Berto Messias sublinhou que a questão das Lajes tem “unido os partidos” na região e que ainda recentemente o líder do PSD/Açores, Duarte Freitas, esteve nos EUA em “diplomacia paralela”, com esse objetivo, tal como já fez por diversas vezes o presidente do governo açoriano, Vasco Cordeiro.

“Esperávamos que o PSD nacional e o CDS tivessem apoiado esta solução”, disse Berto Messias.

Elogiando a postura de Duarte Freitas, o dirigente socialista açoriano acrescentou que esperava que, no entanto, que o presidente do PSD/Açores “tivesse também esse empenho junto do Governo da República”.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.