Açoriano Oriental
GRATER assinala 25º aniversário

A associação de desenvolvimento regional dedicada às zonas rurais das ilhas Terceira e Graciosa apoiou, ao longo dos últimos 25 anos, a criação de mais de 100 empresas e mais de 200 postos de trabalho.

GRATER assinala 25º aniversário

Autor: Cátia Carvalho/AO Online

Criada a 21 de julho de 1995, a GRATER – Associação de Desenvolvimento Regional, instituição constituída pelos municípios dos concelhos do território de intervenção e por 32 entidades públicas e 56 privadas, nasceu com a missão de “promoção, apoio e realização de um aproveitamento mais racional das potencialidades endógenas e exógenas dos concelhos que integram a sua área de atuação, nomeadamente Angra do Heroísmo, Praia da Vitória e Santa Cruz da Graciosa, tendo como princípio o desenvolvimento dos territórios rurais e a melhoria das condições de vida das populações”.

Num comunicado redigido para assinalar a data, a GRATER revelou que ao longo dos últimos 25 anos “definiu como objetivos a concretizar no seu território de intervenção o aumento dos níveis de empregabilidade e de investimento nas zonas rurais e costeiras, a melhoria da atratividade do território para o turismo, a criação dos serviços básicos para as populações e a conservação e valorização do património, tendo sido apoiados mais de 560 projetos com um investimento de aproximadamente 23 milhões de euros, criando mais de 100 empresas e mais de 200 postos de trabalho”.

Em declarações à comunicação social local, Fátima Amorim, presidente da GRATER, referiu que o trabalho da associação contribuiu para “a criação de emprego e de serviços sociais” que garantiram “melhores condições de vida” à população das ilhas Terceira e Graciosa e que “ao fixar mais pessoas” nesses territórios se reduziu a desertificação dos mesmos. Apesar dos projetos que promovem a criação de emprego nas zonas rurais serem a prioridade da associação, Fátima Amorim sublinhou que a amplitude dos apoios da GRATER é muito diversificada dando como exemplo apoios atribuídos a lares de idosos, filarmónicas e grupos folclóricos.

Sobre a continuação do trabalho da associação, a presidente da GRATER espera que “a Comissão Europeia, que neste momento se encontra a negociar a Política Agrícola Comum (PAC), continue a ver o LEADER [Ligação Entre Ações de Desenvolvimento Rural], como instrumento fundamental e a gestão de proximidade como uma mais-valia para o desenvolvimento destes territórios".

Fátima Amorim disse ainda que para que se consiga "continuar a criar condições para que estes territórios sejam mais atrativos", o orçamento do próximo quadro comunitário deverá compreender "os recursos financeiros necessários" concluiu.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.