Governo quer tornar habitações de idosos mais seguras

Governo quer tornar habitações de idosos mais seguras

 

AO   Regional   17 de Out de 2018, 18:12

O Governo dos Açores anunciou que, através da Direção Regional da Habitação, está a realizar um levantamento de elementos que constituam risco de queda nos idosos com vista a promover intervenções preventivas em 180 habitações em todo o arquipélago até ao final de 2019.

Numa sessão de sensibilização promovida pelas secretarias regionais da Solidariedade Social e da Saúde,realizada na cidade da Horta, o Executivo apresentou a medida a autarquias locais, instituições de solidariedade social, profissionais da Segurança Social, da Saúde e da Polícia de Segurança Pública.

Segundo nota do GACS, o trabalho de sinalização deverá ficar concluído até ao final deste ano e passa pela identificação dos casos, pela comunidade, à Junta de Freguesia ou diretamente ao serviço local da Direção Regional da Habitação para que, com pequenas intervenções como a transformação de uma escada em rampa, a colocação de um corrimão, a troca de uma banheira por um poliban, seja possível eliminar os pontos de risco de queda.

“O que se pretende é tornar a casa um ambiente mais seguro e, assim, prevenir as quedas porque as quedas são, de facto, fatores de isolamento, fatores de dependência e, naturalmente, fatores de exclusão”, salientou a Secretária Regional da Solidariedade Social, acrescentando que o objetivo do Governo dos Açores é “agir na prevenção”.

Com o mesmo objetivo, também a equipa do Centro de Saúde do Faial irá realizar ações de sensibilização junto das equipas das instituições da área social que trabalham com idosos ou pessoas com deficiência, nomeadamente junto dos Serviços de Apoio Domiciliário e Centros de Dia, ampliando os esforços de sinalização e promovendo um conjunto de outras medidas que também podem ser adotadas no sentido de tornar as residências mais seguras.

O avanço da idade, assim como outros fatores condicionantes da mobilidade, induz a perda gradual de algumas capacidades, nomeadamente, ao nível da visão, da audição, da força muscular, do tempo de reação ou do equilíbrio, alterações estas que, por vezes, não são percecionadas pelo próprio, aumentando, deste modo, o risco da ocorrência de quedas.

Os dados da Direção Geral de Saúde revelam que, no grupo etário igual ou superior a 65 anos, mais de 65% dos acidentes ocorre em casa e que, no momento do acidente, as atividades que estavam a ser desenvolvidas pelas vítimas eram atividades domésticas e também atividades da vida diária, como andar, tomar banho, subir ou descer escadas, entre outras. 

A informação divulgada pela União Europeia indica ainda que os idosos com mais de 80 anos têm uma taxa de mortalidade relacionada com quedas seis vezes superior à dos idosos entre os 65 e os 79 anos.

A medida hoje apresentada pelo Governo dos Açores é uma das medidas de resposta aos desafios do envelhecimento constantes do I Plano de Ação Bianual 2018-2019 da Estratégia Regional de Combate à Pobreza e à Exclusão Social e visa, juntamente com a medida de promoção a atividade física dos idosos, em articulação também com as autarquias locais, combater o sedentarismo neste grupo da população.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.