Açoriano Oriental
Governo dos Açores “não pode fazer tudo” mas faz “tudo o que pode”

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, disse que o executivo açoriano "não pode fazer tudo", mas "faz tudo o que pode" para dar resposta às consequências da pandemia da covid-19 no arquipélago.

Governo dos Açores “não pode fazer tudo” mas faz “tudo o que pode”

Autor: Lusa/AO Online

O líder do Governo Regional referiu que existem "duas coisas que se podem dizer", relativamente à natureza das "medidas que são necessárias" no "âmbito da situação de pandemia".

"Há duas coisas que se podem dizer. A primeira é que o governo não pode fazer tudo. E a segunda é que o governo faz tudo o que pode para ajudar para, nesta situação [de pandemia] e não só, poder continuar a estabelecer os alicerces para um desenvolvimento futuro", afirmou Vasco Cordeiro.

O presidente do executivo falava na cerimónia de lançamento da primeira pedra da construção do núcleo de pescas da Madalena, integrada na visita estatutária do Governo dos Açores à ilha do Pico, que decorre entre hoje e sábado.

Vasco Cordeiro considerou a obra no núcleo de pescas da Madalena como um "sinal claro quanto à visão do futuro" do governo para o setor, avançando que já foram investidos mais de 23 milhões de euros na melhoria das condições de trabalho dos profissionais da pesca no arquipélago.

"No que corresponde à melhoria da rede de frio regional e de infraestruturas portuárias, os investimentos ascendem no seu conjunto mais de 23 milhões de euros de investimento público nesta legislatura", declarou.

A construção do núcleo de pescas da Madalena está orçada em cerca de um milhão de euros e prevê a criação de dois cais, um de alagem e outro auxiliar, o que irá aumentar em 50% a zona acostável do porto daquele concelho.

Está também previsto o aumento da capacidade da grua do porto, que passará de 10 para 16 toneladas, bem como a criação de infraestruturas de apoio, como instalações sanitárias.

"Não restam, pois, duvidas quanto à capacidade desta obra para melhoria das condições de segurança, de operacionalidade para as condições de trabalho de mais de uma centena de profissionais da pesca que utilizam esta infraestrutura no seu dia a dia", apontou Cordeiro.

A obra no porto terá o prazo de execução de um ano e será "complementada" pelo investimento no entreposto frigorífico da Madalena, que terá o custo de seis milhões de euros e será realizada no âmbito do programa operacional Mar 2020.

Vasco Cordeiro destacou que, em 2019, cerca de 40% dos tunídeos capturados na região foram descarregados no porto da Madalena, representando um valor de mais 1,5 milhões, valor inferior ao de 2018, quando a descarga dos tunídeos naquele porto equivaleu a 3,6 milhões de euros.

O Governo Regional chegou hoje à ilha do Pico para realizar uma visita estatutária de dois dias, cumprindo o Estatuto Político-Administrativo dos Açores.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.