"Governo dos Açores está atento às necessidades do setor agrícola e procura resolvê-las"

"Governo dos Açores está atento às necessidades do setor agrícola e procura resolvê-las"

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   16 de Nov de 2018, 06:37

O secretário regional da Agricultura e Florestas afirmou, nas Furnas, que o Governo dos Açores está atento às necessidades e aos desafios que se colocam ao setor agrícola, procurando resolvê-los, pois contribuem para baixar custos de produção e para o aumento do rendimento dos agricultores.

“No espaço de uma década, e só na ilha de São Miguel, foram investidos em caminhos agrícolas quase 38 milhões de euros, na eletrificação das explorações cerca de 11 milhões de euros e no abastecimento de água às explorações mais 10 milhões de euros”, frisou João Ponte, que falava na inauguração do Caminho Rural da Queimada, cerimónia que foi presidida pelo Presidente do Governo Vasco Cordeiro.



Para o governante, citado em nota de imprensa, todos os investimentos já realizados “muito ajudaram a mudar a face da agricultura” e a fortalecer o setor, daí que terão continuidade no próximo ano, por exemplo, com a obra do Caminho Rural do Curral Fundo, também no concelho da Povoação.



João Ponte salientou que a proposta de Plano de Investimentos para 2019 reserva um montante de cerca de 11 milhões de euros para obras em infraestruturas agrícolas, o que representa um crescimento de 9% face a 2018.



“No total, vamos investir na Região em quase 60 quilómetros de caminhos, eletrificar mais de 40 salas de ordenha e construir perto de 30 quilómetros de redes de abastecimento de água às explorações agrícolas”, disse o governante.



No caso do Caminho Rural da Queimada, a obra tem uma extensão de 1,2 quilómetros, permitindo o acesso a uma área com 80 hectares, dos quais 70 são área agrícola e 10 área florestal, que beneficia duas dezenas de agricultores, acrescenta a nota.



“Este investimento de 700 mil euros tem a mais-valia acrescida de resolver, em definitivo, questões relativas à drenagem de água pluviais e arrastamento de material sólido proveniente de terrenos agrícolas para o interior da freguesia”, frisou o Secretário Regional da Agricultura e Florestas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.