Aposta tem de ser no equilíbrio orçamental

FMI desaconselha redução de impostos em Portugal


 

Lusa / AO online   Economia   27 de Set de 2007, 11:18

A responsável do departamento dos assuntos fiscais do Fundo Monetário Internacional (FMI) desaconselhou quinta-feira uma redução de impostos em Portugal, defendendo que o Governo deve apostar no equilíbrio orçamental e no alargamento da base tributária.
“Não concordo com a redução da carga fiscal [em Portugal]”, disse Tereza Ter-Minassian, em declarações aos jornalistas, à margem do encontro que teve com os deputados das comissões de orçamento e finanças e assuntos externos da Assembleia da República.

 “Portugal, que tem de reduzir o défice orçamental até ao equilíbrio, não pode reduzir a carga tributária”, argumentou a economista, que esteve envolvida no último pacote de ajudas do FMI a Portugal.

A especialista disse que Portugal deve é aumentar a base tributária e procurar eliminar os excessivos benefícios fiscais, fazendo um esforço adicional na simplificação fiscal e procurando evitar medidas avulsas que prejudiquem a estabilidade do sistema fiscal e que afastem investidores.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.