"Fizemos um bom jogo contra a Roménia"


 

Lusa/AO online   Outras modalidades   26 de Set de 2007, 11:29

O seleccionador português de râguebi, Tomaz Morais, afirmou hoje que Portugal “fez um bom jogo, mas não foi perfeito”, dai ter perdido por 14-10 frente à Roménia, em Toulouse, na despedida do Mundial de 2007.
      “Era evidente que a Nova Zelândia nos ia ganhar, mas não a Roménia, embora sabendo que eles são mais possantes. Esta noite fizemo-los correr, e realizámos um bom jogo, mas não fomos perfeitos”, explicou Tomaz Morais.

    Confessando estar satisfeito com a prestação global da equipa lusa, apesar das quatro derrotas, o seleccionador luso reconheceu que a Roménia “jogou com muita inteligência táctica”, enquanto Portugal “mostrou que progrediu muito”.

    “Este tipo de jogo mostra que se for reduzido o número de equipas na fase final dos Mundiais, será difícil às pequenas equipas elevarem o seu nível”, frisou Tomaz Morais, lamentando a ausência de vários jogadores neste encontro, nomeadamente do “capitão” Vasco Uva.

    Tomaz Morais prosseguiu, visivelmente satisfeito: “acabo de receber várias mensagens de encorajamento, dizendo que a equipa portuguesa ajudou na promoção do râguebi”.

    “Se os jogadores portugueses se tornarem profissionais, isso será benéfico... mesmo que seja obrigado a ir ao estrangeiro para os ver jogar”, afirmou o técnico luso, lembrando que perdeu com um equipa “com bons jogadores, muitos nas melhores equipas francesas”.

    Por seu lado, o “capitão” Joaquim Ferreira, que se despediu, com um ensaio, da selecção lusa, afirmou que Portugal “acreditou na vitória, mas não teve peso para a conseguir”.

    “Portugal não tem jogadores muito pesados e isso fez a diferença. Num jogo deste nível, é preciso ser perfeito e nós não o conseguimos”, explicou o autor do ensaio luso.

    Joaquim Ferreira lamentou não se ter despedido com o tão sonhado triunfo: “Queria partir com uma vitória. Marquei um ensaio, mas não é a mesma coisa. Tenho muitas internacionalizações, muita experiência, mas queria muito esta vitória”.

    “Apesar de tudo, penso que nos batemos muito bem e creio que honrámos o nome de Portugal”, finalizou o “capitão”.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.