Açoriano Oriental
Final do ano é como “sol que brilha no inverno” para hoteleiros nos Açores

O final do ano tem permitido aos hotéis açorianos "boas taxas de ocupação" durante a época baixa, pelo que o delegado da Associação de Hotelaria de Portugal nos Açores considera o fim do ano um "sol que brilha no inverno".

Final do ano é como “sol que brilha no inverno” para hoteleiros nos Açores

Autor: Lusa/AO Online

"O fim do ano é sempre como um sol que brilha no inverno para os hoteleiros, porque permite já boas taxas de ocupação. Nos últimos anos, tem-se vindo a verificar uma maior procura pelos Açores", afirmou à Lusa Fernando Neves, perspetivando taxas de ocupação na ordem dos 80% para o final do ano em Ponta Delgada, valor "idêntico ao de anos anteriores".

O delegado da Associação de Hotelaria de Portugal (AHP) nos Açores assinalou que o fim do ano tem vindo a afirmar-se “nos últimos anos como um período importante para a hoteleira".

"É importante por ser na época baixa, como forma de ultrapassar as baixas de ocupação nessa época. Tem-se mostrado importante e com maior procura, principalmente do mercado nacional", destacou.

Esta passagem do ano torna-se ainda mais importante, tendo em conta que "há menos gente este ano" nestas unidades, ou seja, a época baixa deste ano representa "decréscimo" em comparação com a de 2018.

Fernando Neves assinalou que nos últimos quatro/cinco anos se assistiu a um maior "conhecimento e curiosidade" em torno dos Açores, havendo já diversa animação com qualidade na noite de fim do ano.

Tendo em conta a programação para a data, o empresário considerou mais importante investir agora em atividades no dia 01 de janeiro como forma de complementar a oferta, até porque no primeiro dia do ano "há sempre pouco a fazer".

Considerando que os Açores permitem um fim do ano em família, com clima ameno, num tipo de turismo calmo e em contacto com a natureza, o também administrador da empresa Empreendimentos Turísticos do Colégio defendeu que os Açores não devem concorrer com destinos já com muita tradição em receber nesta época.

"Nós não devemos entrar em concorrência com destinos que já são bons no fim do ano na parte da animação. Devíamos era focar-nos no fim do ano em família, com o contacto com a natureza, a ver as nossas belezas naturais. Há pessoas que procuram isso. Vamos fazer diferente", afirmou.

O delegado da AHP destacou a ida do Presidente da República, Marcelo de Rebelo de Sousa, para o Corvo na passagem do ano, uma atitude que considera "positiva" e que irá "ter reflexos", não só para os alojamentos da ilha, como para "dar a conhecer um território que muitas vezes é esquecido".

Fernando Neves também frisou a importância da certificação de destino turístico sustentável atribuído pela Global Sustainable Tourism Council, no início de dezembro, como forma de chamar a atenção para a necessidade do turismo ser sustentável para todos.

"Uma forma de tomada de consciência para cuidarmos dos Açores. Não estragarmos e garantirmos o turismo para o futuro, para os nosso filhos e netos, porque temos tido crescimento, mas ainda há muito para crescer", concluiu.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.