Exportações de bens para Reino Unido crescem quase 5 por cento para 1.651 ME até agosto

Exportações de bens para Reino Unido crescem quase 5 por cento para 1.651 ME até agosto

 

Lusa / AO online   Economia   19 de Out de 2013, 12:06

As exportações de bens portugueses para o Reino Unido subiram 4,8% até agosto, face a igual período de 2012, para 1.651 milhões de euros, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

Em igual período, as importações recuaram 4,7% para 1.073 milhões de euros, o que representa um saldo positivo da balança comercial para Portugal em 578 milhões de euros.

O ministro da Economia, António Pires de Lima, inicia na segunda-feira uma missão de dois dias a Londres para captar investimento para o mercado português, acompanhado dos secretários de Estado Adjunto e da Economia, Leonardo Mathias, e da Inovação, Investimento e Competitividade, Pedro Gonçalves, além do presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Pedro Reis.

Em 2012, as exportações para aquele mercado atingiram os 2.394 milhões de euros e as importações ascenderam a 1.686 milhões de euros.

O Reino Unido é o quinto cliente de Portugal e o sétimo fornecedor do país.

No ano passado, o número de empresas exportadoras para o mercado britânico era de 3.271, acima das 2.097 em 2011.

Em relação aos grupos de produtos mais exportados por Portugal para aquele mercado, destacam-se as máquinas e aparelhos, veículos e outro material de transporte e vestuário.

No primeiro semestre, as vendas de máquinas e aparelhos subiram 9,4% para 212,2 milhões de euros, representando um peso de 16,9% em relação ao total de exportações para o Reino Unido.

As exportações de veículos e outro material de transporte, com peso de 15,4%, caíram 11,3% para 193,5 milhões de euros, enquanto as vendas de vestuário subiram 11,2% para 134,7 milhões de euros, com um peso de 10,7% do total.

No que respeita às compras, químicos, metais comuns e máquinas e aparelhos integram os três grupos de produtos mais importados por Portugal.

Até junho, as compras de químicos (peso de 17,5%) recuaram mais de um terço para 138,3 milhões de euros, enquanto as de metais comuns subiram 9,6% para 135,7 milhões de euros (peso de 17,2%).

As importações de máquinas e aparelhos recuaram 8,5% para 128,1 milhões de euros (peso de 16,2%).

Em termos de serviços, as exportações para o Reino Unido subiram 6,1% até julho, face a igual período de 2012, para 1.630 milhões de euros e as importações cresceram 3,6% para 714,6 milhões de euros, com um saldo positivo de 915,5 milhões de euros para Lisboa, de acordo com dados do Banco de Portugal.

Na área dos serviços, o Reino Unido ocupa a primeira posição como cliente e o segundo lugar enquanto fornecedor.

Por tipos de serviços, as viagens e turismo representam mais de 50% do total das exportações neste segmento, tendo representado 1.445 milhões de euros em 2012, uma queda de 1,1% face a 2011.

Os transportes ocupam o segundo lugar (peso de 27,6%), tendo subido 11,9% no ano passado, para 781,3 milhões de euros, e outros serviços fornecidos por empresas (peso de 10,2%) recuaram 20,6% para 290 milhões de euros.

As receitas de hotelaria provenientes de cidadãos do Reino Unido em Portugal subiram 5,3% entre janeiro e julho deste ano, para 785,4 milhões de euros, sendo este mercado o principal emissor de turistas no conjunto de 55 mercados e com um peso de 16,1% no total dos proveitos turísticos no universo do total de estrangeiros que visitam o país.

Até julho, o investimento direto do Reino Unido em Portugal recuou 33,6% face ao ano anterior, para 2.531 milhões de euros.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.