Exercício testou contenção de derrame de combustível

 Exercício testou contenção de derrame de combustível

 

Lusa/Aonline   Regional   9 de Nov de 2011, 13:38

Um exercício conjunto simulado, envolvendo forças militares e da Proteção Civil portuguesa e norte-americana, testou hoje a contenção de um derrame de combustível de aeronaves na Praia da Vitória, na Terceira, Açores.

“Devido a um sismo, que provocou danos estruturais num dos tanques de armazenamento de combustível para aeronaves das Forças Armadas norte-americanas, a ação visou ensaiar, em conjunto, a contenção do derrame, protegendo a população, outros seres vivos e o meio ambiente”, descreveu o engenheiro do ambiente Vítor Berbereia, em declarações aos jornalistas no final do exercício, em que estiveram envolvidos mais de 150 efetivos.

A iniciativa serviu para treinar a ativação do Centro de Coordenação Combinada, a evacuação das áreas afetadas, a contenção do combustível derramado, a proteção da orla costeira e a recuperação dos hidrocarbonetos.

Vítor Berbereia sublinhou que o exercício está inserido no plano português 'Mar Limpo', salientando que o cenário treinado “é muito improvável”, mas que a preparação “exige que seja realizada para as piores consequências possíveis”.

O responsável referiu que o exercício demonstrou que “há uma boa capacidade de resposta imediata”, mas admitiu que, “numa situação de grande catástrofe, são necessários auxílios do exterior”.

Os meios locais, que contam com mais de quatro quilómetros de barreiras, teriam de ser auxiliados por barcos-tanques vindos do exterior, em caso de derrame por toda a baía da Praia da Vitória.

O exercício permitiu apurar que, a partir do momento em que foi dado o alarme, os meios locais ficaram posicionados em menos de uma hora, enquanto os recursos de outras ilhas levariam 24 horas a chegar e os do exterior do arquipélago cerca de 48 horas.

Um derrame desta natureza, segundo Vítor Berbereia, afetaria as atividades económicas locais, os portos comercial e de pescas, provocando ainda um impacto menos acentuado nas zonas naturais.

O especialista assegurou que todo o trabalho de transporte, armazenamento e manuseamento de combustível é realizado de acordo com a legislação portuguesa e norte-americana.

Neste exercício, foram usados meios da Câmara Municipal da Praia da Vitória, PSP, Bombeiros, Proteção Civil, Capitania da Praia da Vitória e do Destacamento Militar dos EUA na Base das Lajes.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.