Açoriano Oriental
EUA/Eleições: Recorde de candidatos democratas culmina com nomeação oficial

Joe Biden vai aceitar, na próxima quinta-feira, a nomeação oficial do Partido Democrata às eleições presidenciais de novembro, depois de uma corrida em que ultrapassou 27 candidatos e que teve 12 debates televisivos.

EUA/Eleições: Recorde de candidatos democratas culmina com nomeação oficial

Autor: AO Online/ Lusa

A convenção democrata começa nesta segunda-feira, em Milwaukee, no Estado de Wisconsin.

Em 2019, estiveram ativos 28 comités de candidatura à nomeação do Partido Democrata para a eleição presidencial dos Estados Unidos da América, um número recorde de candidatos desde 1972, início do sistema de eleições primárias vigente.

O Partido Democrata teve o maior número de pré-candidatas à Casa Branca de sempre: seis mulheres no total, das quais apenas uma não tinha experiência política.

Joe Biden, que já concorreu duas vezes à nomeação para a eleição presidencial (em 1988 e 2008) e antigo vice-Presidente de Barack Obama (2009-2017), foi o único que permaneceu na corrida depois de abril, com o apoio de muitos antigos rivais, tornando-se candidato presumível e que irá aceitar a nomeação oficial na próxima semana.

Para vice-Presidente e depois de muita especulação, foi escolhida a senadora Kamala Harris, que concorreu a ser a primeira Presidente mulher dos EUA de janeiro até dezembro último.

As candidaturas à nomeação do Partido Democrata começaram a ser anunciadas em janeiro de 2019, com vários comités a serem formados ainda no final de 2018.

Antes disso, já John Delaney contava quase ano e meio na sua candidatura. O antigo congressista de Maryland e empresário anunciou a sua candidatura em 28 de julho de 2017 e anunciou o abandono da corrida à nomeação em 31 de janeiro de 2020, após uma das mais longas campanhas de sempre.

O senador Bernie Sanders, de Vermont, que tinha uma das maiores bases de apoiantes, foi o último a suspender a campanha, em 08 de abril, e a declarar o apoio a Biden.

Tulsi Gabbard, a candidata mais jovem, na altura com 38 anos, congressista do Havai e oficial da Guarda Nacional do Exército, foi uma das primeiras a entrar na corrida e das últimas a retirar-se, em meados de março.

A senadora de Massachusetts Elizabeth Warren pôs fim à campanha em 05 de março, depois de resultados negativos nas eleições primárias da ‘Super Tuesday’ (Super Terça-feira), ao não conseguir o apoio de nenhum dos 14 Estados que realizaram primárias nessa ocasião.

A ‘Super Tuesday’ de 03 de março, com a participação de cinco pré-candidatos, distribuiu o apoio de 1.344 delegados estaduais entre Joe Biden e Bernie Sanders.

Elizabeth Warren e Tulsi Gabbard não reuniram votos suficientes para nenhuma vitória, enquanto Michael Bloomberg ganhou apenas a Samoa Americana, um território que não entra nas eleições presidenciais.

O ‘mayor’ de Nova Iorque entre 2002 e 2013, empresário e fundador de uma agência noticiosa em seu nome, Michael Bloomberg anunciou a sua candidatura em finais de novembro do ano passado e desistiu cerca de três meses depois, em 04 de março.

Amy Klobuchar, senadora do Minnesota, decidiu desistir um dia antes da ‘Super Tuesday’ e endossar o antigo rival Joe Biden.

Pete Buttigieg, ‘mayor’ durante oito anos de South Bend, Indiana, primeiro candidato assumidamente homossexual às presidenciais, anunciou a sua candidatura em abril do ano passado e, depois de ser declarado vencedor do ‘caucus’ de Iowa, no início de fevereiro deste ano, retirou-se em 01 de março. Foi o mais jovem candidato desta corrida, que iniciou aos 37 anos.

O gestor de investimentos e multimilionário Tom Steyer, o antigo governador de Masschusetts, Deval Patrick, o senador do Colorado Michael Bennet e o empresário Andrew Yang suspenderam as suas campanhas em fevereiro e todos declararam apoio a Joe Biden.

O antigo ‘mayor’ de Newark e senador da Nova Jérsia Cory Booker tentou durante quase um ano juntar apoio para a nomeação do Partido Democrata às eleições presidenciais, tal como Marianne Williamson, autora de livros espirituais e fundadora de um projeto de solidariedade, e Julián Castro, antigo secretário federal de habitação e ex-‘mayor’ de San Antonio, Texas.

Kamala Harris, nomeada como “parceira eleitoral” de Joe Biden na passada terça-feira, fez campanha pela nomeação 21 de janeiro a 03 de dezembro de 2019.

Steve Bullock, antigo governador de Montana também suspendeu a sua campanha em dezembro.

O ‘mayor’ de Nova Iorque, Bill de Blasio, a senadora Kirsten Gillibrand e o antigo congressista do Texas Beto O’Rourke foram alguns dos pré-candidatos à nomeação Democrata.

A convenção democrata realiza-se de segunda a quinta-feira da próxima semana, quando Joe Biden e Kamala Harris vão ser formalmente anunciados como candidatos do Partido Democrata à Casa Branca.

A maior parte dos eventos marcados para a convenção vai ser realizada de forma digital, com discursos de ‘pesos pesados’ do partido Democrata, antigos candidatos à nomeação e reuniões diárias de assembleias e concelhos.

Os temas de cada dia vão focar-se no quotidiano da população, liderança e união para o futuro.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.