"Entroikado" lidera escolha para a "palavra do ano"

"Entroikado" lidera escolha para a "palavra do ano"

 

Lusa/AO online   Nacional   21 de Dez de 2012, 15:21

A palavra "entroikado" lidera a lista de palavras do ano, tendo arrecadado, até hoje, 28 por cento das escolhas dos cibernautas, disse fonte da Porto Editora que organiza a iniciativa.

Segundo a lista facultada à Lusa, “entroikado” lidera, seguindo-se, com 15 por cento, a palavra “desemprego” e, no terceiro lugar, ex-aequo, com 12 por cento, estão “bosão” e “solidariedade”.

“Com as condições de austeridade impostas pela troika aos portugueses, muitos sentem-se 'entroikados'”, disse à Lusa, no início de dezembro, fonte da editora, quando foi divulgada, no iníocio do mês, a lista das dez palavras a concurso.

A escolha da palavra “desemprego”, deveu-se ao facto de a respetiva taxa ter “atingido sucessivos recordes, sendo uma preocupação atual em Portugal e na Europa”, disse a mesma fonte.

O termo “bosão de Higgs”, conhecido vulgarmente por "partícula de Deus", é considerado essencial à explicação do mundo e "é tido, pelos físicos, como fundamental para perceber vários mistérios do Universo", tendo entrado "no vocabulário corrente”.

A "solidariedade", disse a mesma fonte, justificando a escolha, "une todos os portugueses e destacou-se, em 2012, no contexto do Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações”.

A votação para a "palavra do ano" decorre "on-line", desde 7 de dezembro, em www.portoeditora.pt/palavradoano, e a vencedora será divulgada no dia 04 de janeiro, numa cerimónia na Biblioteca José Saramago, em Loures.

A escolha das dez palavras foi feita pela equipa de linguistas do Departamento de Dicionários da Porto Editora, "tendo como critérios a frequência de uso, a relevância assumida ou, então, simplesmente, porque se relaciona com algum tema muito marcante".

Segundo os primeiros resultados, hoje divulgados à Lusa, às quatro palavras do pódio, segue-se “manifestação”, com 10 por cento, e, no sexto lugar, “cortes”, com oito por cento dos votos contados.

No sétimo ligar, com cinco por cento, está a palavra “refundar”, seguindo-se “imposto”, com quatro por cento.

No nono lugar, o antepenúltimo, está “democracia”, com três por cento e, a fechar as escolhas, “TSU”, a sigla de Taxa Social Única, que, em setembro, adquiriu estatuto de acrónimo, com dois por cento.

A iniciativa “palavra do ano” é da Porto Editora, que tem uma forte componente de especialização na área dos dicionários e da lexicografia.

Em 2009, a "palavra do ano" foi "esmiuçar", em 2010, "vuvuzela" e, no ano passado, “austeridade”, que relegou a “esperança” para segundo lugar.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.