Conjuntura

Economistas cautelosos na análise ao crescimento

Economistas cautelosos na análise ao crescimento

 

Lusa / AO online   Economia   13 de Nov de 2009, 10:31

Os economistas contactados esta sexta-feira pela agência Lusa mostram-se cautelosos na análise do crescimento de 0,9 por cento da economia portuguesa no terceiro trimestre, sublinhando que esta subida não pode ser dissociada de um aumento do défice.
"Muito desta evolução é feita à custa do Estado, porque é o Estado que está a sobrecarregar o défice público e a explodir os limites da dívida emitida", disse João Duque, presidente do Instituto Superior de Economia e Gestão.

Para João Duque, Portugal "está a chegar ao limite máximo do endividamento público, por isso estamos a crescer à custa de nos endividarmos". A menos que haja uma "surpresa muito negativa no quarto trimestre", diz o professor de Economia, Portugal deverá chegar ao final deste ano com uma quebra de 3 por cento no crescimento da riqueza, uma previsão que até é melhor que a do Executivo.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.