OE2019

Deputados do PSD/Açores na AR afirmam que documento salta entre “intenção e a inação"

Deputados do PSD/Açores na AR afirmam que documento salta entre “intenção e a inação"

 

Lusa/AOOnline   Regional   17 de Out de 2018, 15:37

Os deputados do PSD eleitos pelos Açores para a Assembleia da República consideram que as principais promessas do Governo da República "vão saltando, de ano para ano, entre a intenção e a inação".

Os parlamentares Berta Cabral e António Ventura, num comentário à proposta do Orçamento do Estado para 2019, referem que o documento "mostra bem que temos na República, tal como nos Açores, um governo que é bom a iludir, mas mau a concretizar".

Os deputados insulares, citados hoje numa nota de imprensa, afirmam que "foram três anos perdidos até agora, e 2019 parece ir pelo mesmo caminho" em relação aos projetos de investimento para os Açores, uma vez que as principais promessas do Governo "vão saltando, de ano para ano, entre a intenção e a inação".

Para os social-democratas "o que lá está sobre o Estabelecimento Prisional de São Miguel é muito vago”, enquanto “o que trata do Aeroporto da Horta é vago e dúbio”.

Os deputados adiantam que o Observatório do Atlântico, “prometido em 2016, foi agora ressuscitado depois de três anos de esquecimento".

"Sobre a Esquadra da PSP na Ribeira Grande não há qualquer referência, os Radares Meteorológicos para a região estão sem concretização. E quanto ao PREIT e à descontaminação dos solos e aquíferos na Ilha Terceira, parece que no último ano de mandato voltam a ser tidos em conta", afirma-se.

Considerando que se está perante um Orçamento “a pensar nas eleições de 2019, onde vale prometer tudo", Berta Cabral e António Ventura lamentam que "não exista expressão orçamental, apenas palavras e mais palavras".

Para os parlamentares dos Açores, que vão "apresentar propostas de alteração visando a concretização dos projetos em falta", o Orçamento do Estado "cumpre, como seria de esperar, a Lei das Finanças das Regiões Autónomas e também a Lei de Finanças Locais, com a alteração introduzida recentemente".

Os social democratas recordam, por exemplo, que "a descontaminação dos solos e aquíferos ainda não está realizada e que o futuro da Base das Lajes é muito incerto".

"Afinal, e durante os três anos desta governação socialista, nada se fez. E agora, o Governo tenta passar a ideia de que em 2019 tudo será feito", refere-se.

Os deputados recordam que, em finais de 2015, "este Governo e o PS criaram elevadas expectativas aos açorianos, só que nunca as chegaram a cumprir", estando-se perante uma proposta de Orçamento "mais uma vez, de palavras", onde não se encontram os montantes "para a maior parte das medidas inscritas, como a descontaminação dos solos e aquíferos da Terceira".

Berta Cabral e António Ventura lembram também que os serviços públicos do Estado na região "carecem de avultados investimentos em edifícios, equipamentos e recursos humanos".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.