Conjuntura

Consumidores e empresas mais negativos sobre a evolução da economia

Consumidores e empresas mais negativos sobre a evolução da economia

 

Lusa/AO online   Economia   29 de Set de 2011, 11:03

A confiança dos consumidores e o clima económico voltaram a degradar-se e estão perto do seu pior valor de sempre, com as empresas e as famílias a antever um agravamento da queda da economia.
Depois do primeiro-ministro, do seu secretário de Estado adjunto, e do próprio governador do Banco de Portugal afirmarem que contam com uma recessão ainda maior que a já prevista para o próximo ano (uma revisão de 1,8 por cento para mais de 2,2 por cento, pelo menos), os dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) demonstram que a confiança está a cair em praticamente todos os sectores da economia portuguesa.

O indicador de clima económico, que agrega os resultados dos inquéritos aos vários sectores da economia, piorou em Setembro para os -2,7 pontos, acentuando uma queda que já contempla vários meses consecutivos e aproximando-se do seu mais baixo valor de sempre, registado em Abril de 2009.

O sentimento de que a economia irá piorar mais ainda só não se verifica no caso da indústria transformadora, cujas expectativas já negativas se mantêm em igual valor ao de Agosto, nos -13,5 pontos.

Mas todos os outros sectores demonstram que tanto empresas como consumidores esperam um agravamento da situação económica do país, em especial as famílias, demonstrado por mais um agravamento no indicador de confiança dos consumidores de -49,1 para -50,8 pontos, apenas a duas décimas do valor mais baixo atingido desde Setembro de 1997, quando a série teve início.

As perspectivas da parte dos consumidores pioraram em todos os pontos do inquérito. Entre Agosto e Setembro deste ano, as famílias esperam uma pior situação financeira no lar e uma pior situação económica no país no próximo ano, esperam que o desemprego em Portugal aumente ainda mais nos próximos 12 meses e esperam que a sua capacidade de poupar dinheiro diminua também nesse período.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.