Cine Atlântico exibe dez curtas e longas metragens portuguesas em Angra do Heroísmo


 

Lusa/AO online   Regional   15 de Nov de 2018, 18:02

A terceira edição da mostra de cinema português Cine Atlântico, que decorre de sexta-feira a domingo, em Angra do Heroísmo, exibe dez filmes de Teresa Villaverde, Leonor Teles e Diogo Costa, entre outros realizadores.


“Serão apresentados dez filmes portugueses - entre curtas e longas-metragens -, numa seleção do crítico de cinema e curador do Cine Atlântico, José Vieira Mendes, que pretende colocar a tónica nos cineastas portugueses que se têm vindo a afirmar no plano internacional e que vão colecionando prémios nos principais festivais de cinema do mundo”, adiantou, hoje, numa nota de imprensa, o Cine-Clube da Ilha Terceira, que organiza a mostra.

A iniciativa arranca na sexta-feira, às 21:30 (mais uma hora em Lisboa), com a exibição do filme “Colo”, de Teresa Villaverde, que comemora este ano 20 anos da estreia de “Os Mutantes” (e a quem a Fundação de Serralves, no Porto, dedica uma retrospetiva, a iniciar também na sexta-feira).

No sábado, serão exibidas sete curtas-metragens, a partir das 18:30, com a presença dos realizadores portugueses Leonor Teles, Pedro Cabeleira e David Pinheiro Vicente, jovem da ilha Terceira, cujo filme “Onde o Verão Vai” foi incluído na Seleção Oficial da Berlinale Shorts 2018.

A sessão começa com “A Balada de um Batráquio, de Leonor Teles, Urso de Ouro para Melhor Curta-Metragem na Berlinale 2016, seguida de “Cidade Pequena”, de Diogo Costa Amarante, Urso de Ouro para Melhor Curta-Metragem na Berlinale 2017.

São ainda exibidos “Coelho Mau”, de Carlos Conceição, “Farpões Baldios”, de Marta Mateus, Grande Prémio do 25.º Curtas Vila do Conde 2017, e “Onde o Verão Vai”, de David Pinheiro Vicente.

A noite encerra com “Amor, Avenidas Novas”, de Duarte Coimbra, seleção oficial de curta-metragens da 56.º Semana da Crítica do Festival de Cannes 2018, e “Verão Danado”, de Pedro Cabeleira, que recebeu uma menção especial no palmarés da competição Cineasti del Presente (primeiras e segundas obras), no Festival de Cinema de Locarno (Suíça), em 2017.

Para o último dia da mostra estão reservados os filmes “Terra Franca”, de Leonor Teles, vencedor do Prix International de la Scam, no festival Cinéma du Réel de Paris 2018, e “Djon África”, de Filipa Reis e João Miller Guerra, que esteve em competição no último Festival Internacional de Cinema de Roterdão (Tigre Hivos).

Realizado pelo terceiro ano consecutivo, o Cine Atlântico - Mostra de Cinema Português do Século XXI, decorre na sala de cinema da Sociedade Filarmónica de Instrução e Recreio dos Artistas, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, com apoio dos municípios da ilha, do Governo Regional, de associações públicas e de privados.

Os bilhetes têm um custo máximo de três euros, para não-sócios, mas os jovens até aos 18 anos têm entrada gratuita.

“Esta é uma estratégia adotada por esta associação no sentido de promover a criação de novos públicos e despertar a curiosidade pelo cinema nos jovens”, justificou o Cine-Clube da Ilha Terceira.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.