Uzbequistão

Cerca de 1450 pessoas raptadas por traficantes de seres humanos em 2008


 

Lusa/AOonline   Internacional   17 de Out de 2008, 16:28

Cerca de .450 pessoas foram raptadas por traficantes de seres humanos nos nove primeiros meses deste ano no Uzbequistão, anunciou o procurador-geral desta antiga república soviética da Ásia Central.
Desde o começo de 2008, 446 processos penais foram abertos contra presumíveis traficantes de seres humanos e 339 pessoas estão sob investigação, precisou o procurador-geral Rachitjon Kadirov, num artigo publicado no diário uzbeque de língua inglesa Narodnoe Slovo.

    Os homens uzbeques raptados pelos traficantes são geralmente levados para a Rússia e Cazaquistão onde são explorados como mão-de-obra. As mulheres uzbeques são forçadas à escravatura sexual na Rússia e Cazaquistão, mas também na Tailândia, Turquia, Índia, Israel e em alguns Estados do Golfo Pérsico, acrescentou.

    Dois a três milhões de uzbeques, de acordo com especialistas, trabalham no estrangeiro, principalmente na Rússia e Cazaquistão, de forma a apoiar as suas famílias no Uzbequistão.

    O salário médio naquele país de 27 milhões de habitantes é de cerca de 19 dólares mês (14 euros).

    A maioria dos uzbeques no estrangeiro trabalham ilegalmente e são frequentemente explorados, de acordo com organizações de direitos humanos.

    O Uzbequistão já aprovou este ano uma lei que aumenta as penas contra traficantes de seres humanos e adoptou a convenção da ONU que visa a luta contra estes criminosos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.