Causa de morte de Amy Winehouse não foi 'overdose' de drogas

Causa de morte de Amy Winehouse não foi 'overdose' de drogas

 

Lusa/Aonline   Internacional   23 de Ago de 2011, 16:32

As causas da morte da cantora britânica Amy Winehouse estão ainda por esclarecer, mas as análises feitas revelam que não foram encontradas quaisquer "substâncias ilegais" no organismo, apenas álcool, anunciou hoje a família da artista.

"Os resultados das análises toxicológicas fornecidas pelas autoridades à família Winehouse confirmaram que não foi encontrada qualquer substância ilegal no corpo de Amy no momento da morte", referiu em comunicado.

A cantora morreu no dia 23 de julho em casa em Londres, aos 27 anos e apesar de se ter especulado que teria sido de "overdose" - por causa dos recorrentes problemas com álcool e drogas -, as autoridades não chegaram a uma conclusão em relação às causas da morte, rementendo um relatório completo para outubro.

Nos resultados agora revelados refere-se apenas a presença de álcool no sangue.

A família da cantora pretende criar uma fundação para ajudar os mais novos que tenham problemas com consumo de drogas, mas o processo tem sido moroso e comm algumas dificuldades legais, porque já existe uma fundação precisamente com o nome da cantora.

Amy Winehouse deixou dois álbuns editados, "Frank" (2003) e "Back to Black" (2006), que voltaram rapidamente ao top de vendas do Reino Unido depois da morte, e fala-se na existência de vários temas inéditos de um terceiro disco que não chegou a publicar.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.